A 22ª edição do Festival de Cinema Brasileiro de Miami (BRAFF), que acontece de 14 a 23 de setembro, vai tomar conta da cidade com uma programação repleta de filmes inéditos ou recém-lançados no Brasil (e todos inéditos na Flórida), além de mostras e painéis, ocupando espaços como o Regal South Beach 18 (tradicional cinema que sedia a mostra competitiva), New World Symphony SoundScape Park, Savor Cinema, Downtown Media Center e Florida Internacional University. O Festival exibirá um panorama diversificado da mais recente produção audiovisual brasileira, títulos em coprodução e mostras paralelas, apresentando o Brasil em toda a sua potência criativa.
 
Na mostra competitiva deste ano os curadores do BRAFF, Anna Marie de la Fuente, editora-chefe para América Latina da revista Variety, Flavia Guerra, jornalista e documentarista, e Carlos Gutierrez, diretor do Cinema Tropical, selecionaram oito longas-metragens de ficção que retratam a diversidade do cinema nacional.
 
A programação inclui a comédia “Correndo Atrás”, de Jeferson De, os dramas “Benzinho”, de Gustavo Pizzi, premiado como melhor filme no Festival de Gramado, “Aos Teus Olhos”, de Carolina Jabor, e “As Boas Maneiras”, de Juliana Rojas e Marco Dutra. Completam a seleção os elogiados “Berenice Procura”, de Allan Fiterman, com uma importante representação LGBT no elenco;  e “O Paciente – O Caso Tancredo Neves”, thriller médico de Sérgio Rezende que revela detalhes da misteriosa morte do presidente que nunca tomou posse (estreia no Brasil na semana do festival); e as comédias “Uma Quase Dupla”, de Marcus Baldini, e “Antes Que Eu Me Esqueça”, de Tiago Arakilian.
 
Em sessões hors concours, o festival apresenta dois aguardados documentários também inéditos no Brasil: “Quero Botar Meu Bloco na Rua”, de Adriana L. Dutra, sobre o carnaval de rua carioca, e “Fevereiros”, de Marcio Debellian, que registra a vitória da Mangueira quando homenageou Maria Bethânia e acompanha a cantora nas festas da Nossa Senhora da Purificação, na Bahia.

O grande homenageado será Cacá Diegues, que ganhará uma mostra especial, com exibição de quatro filmes emblemáticos: “Orfeu” (1999), “Bye Bye Brasil” (1980), “Deus é Brasileiro” (2003) e “O Maior Amor do Mundo” (2006). Além de Cacá, uma turma de peso do cinema nacional já confirmou presença nesta edição do festival: a produtora Renata Magalhães, Mariza Leão e Elisa Tolomelli, os atores Betty Faria e Danton Melo, os diretores Carolina Jabor (“Aos Teus Olhos”), Jeferson De (“Correndo Atrás”), Sergio Rezende (“O Paciente – O Caso Tancredo Neves”), Marcio Debellian (“Fevereiros”) e Tiago Arakilian (“Antes Que Eu Me Esqueça”), os roteiristas Helio de la Peña (de “Correndo Atrás”), Luisa Parnes (de “Antes Que Eu Me Esqueça”) e Flávia Guimarães (de “Berenice Procura” e “Quero Botar Meu Bloco na Rua”).
 
Na noite do dia 23 de setembro, no New World Symphony Soundscape Park, haverá a entrega das Lentes de Cristal para o melhor filme escolhido pelo público e a homenagem especial para Cacá Diegues. O evento terá exibição gratuita do filme “Deus é Brasileiro”.
  
FILMES EM COMPETIÇÃO:
 
Correndo Atrás, de Jeferson De

Benzinho, de Gustavo Pizzi

O Paciente – O Caso Tancredo Neves, de Sergio Rezende

Aos Teus Olhos, de Carolina Jabor

Berenice Procura, de Allan Fiterman

As Boas Maneiras, de Juliana Rojas e Marco Dutra

Uma Quase Dupla, de Marcus Baldini

Antes Que Eu Me Esqueça, de Tiago Arakilian