A Morte Te Dá Parabéns 2, como já é de se imaginar, é uma sequência do filme lançado em 2017, nele Tree (Jessica Rothe) é obrigada, por um motivo desconhecido, a reviver o dia do seu aniversário que é também o dia no qual ela é assassinada, até que ela descubra quem é seu assassino e quebre o ciclo, desta vez, bom, acontece a mesma coisa, porém agora além de lidar com sua morte em looping, Tree se depara com diferentes realidades, mesmo que a trama apresentada não seja nenhuma ciência espacial, assistir o primeiro filme pode fazer alguma diferença aqui.

O longa começa acompanhando Ryan (Phi Vu), o colega de quarto de Carter (Israel Broussard), que no final do primeiro filme formava um casal com a protagonista Tree, e ele assim como ela passa a viver o mesmo dia repetidamente, também sendo assassinado por alguém usando uma máscara de bebê, talvez o problema de segurança no campus deveria ser o foco do filme. Sem entender o que está acontecendo, Ryan conta para Tree e Carter pelo o que está passando e os dois com sua experiencia tentam ajudar o rapaz.

Enquanto você pensa que vai ver o mesmo filme só que com o foco em outro personagem, que convenhamos é menos carismático e com um desempenho inferior ao de Jessica Rothe, o filme reajusta sua trajetória e volta a ter Tree como foco do assassino, mais pra frente a real função de Ryan é revelada, em seu projeto de tese ele acabou construindo uma maquina que por acidente criou o looping temporal no qual Tree ficou presa, e na tentativa de arrumar seu erro ele acaba não só mantendo ela presa ao mesmo dia, mas agora ela vive este dia repetidamente em uma outra dimensão, onde os relacionamentos com as pessoas que ela conhece estão completamente mudados.

Se aproveitando dos suspeitos já apresentados no filme anterior, a dinâmica continua a mesma, a história é reciclada, só que dessa vez não é dada tanta importância para suspense ao redor do assassino, Tree decide que ela mesma vai se matar até que o time de nerds do laboratório de ciências descubra como resolver o problema no continuo espaço-tempo.
Grande parte é investida em suicídios criativos e no drama que permeia essas novas velhas relações. A montagem dos diferentes suicídios enquanto toca Hard Times do Paramore é um dos momentos mais divertidos do filme, diferente do novo drama forçado à personagem que agora não tem mais o que aprender, já que não é mais uma garota de fraternidade maldosa, então dessa vez ela é forçada a escolher entre o amor e a família.

A Morte Te Dá Parabéns 2 abandona muito do que fez o primeiro filme dar certo, não existe mais nenhum leve suspense em quem é o assassino ou onde ele vai estar dessa vez, nem a evolução da personagem, que já aconteceu anteriormente, a trama se aproxima muito mais de um filme de ficção cientifica do que um terror, e de fato os personagens chegam a citar De Volta Para o Futuro 2, mas nem de longe essa sequencia chega a ser tão divertida quanto.