Em 2009, quando adquiri o DVD de ‘Busca Implacável’, eu não sabia muito sobre o filme, mas sabendo que Luc Besson estava envolvido, tive certeza de que seria ao menos divertido.
Eu estava certo, já que assisti ao filme algumas vezes durante aquele ano.

O primeiro ‘Busca Implacável’ é um combinação de bons elementos: um argumento interessante ambientado na Europa; um personagem ‘badass’ interpretado por um ator que cai como uma luva no papel; boas sequências de ação dirigidas com atenção. Então veio a sequência que eu nunca vi inteira. Depois o terceiro filme, que apenas existe.

Se você nunca assistiu à nenhum dos filmes, ou mesmo se fez como eu e permaneceu com a boa sensação de diversão do original, deve assistir ao vídeo do canal Burger Fiction que com o uso de grandes habilidades de edição, compilou a trilogia em 90 segundos:

O maior problema dessa franquia é a tendência (excesso) ao autoplágio. Os três filmes repetem-se em contar a mesma história e solucioná-la do mesmo jeito.

Bryan Mills, o protagonista da franquia, misturou-se a seu intérprete Liam Neeson, que vestiu o arquétipo de herói que resolve tudo com as próprias mãos. Ainda que já na casa dos 60, Neeson pode ser considerado um prolífico ator do gênero de ação.