Já começou o maior evento de cultura pop do mundo: a Comic Con Experience, ou “CCXP”. Com dezenas de atrações simultâneas, o evento já está sendo uma experiência única para os visitantes, que além de conferirem pré-estreias de filmes em primeira mão, também podem ter contato com atores e diretores, visitarem ativações incríveis e comprarem colecionáveis exclusivos.

Nesta quinta-feira, o primeiro dia oficial de evento, as coisas só começaram a esquentar.


O Auditório Cinemark XD iniciou os trabalhos com pura nostalgia. Seguindo a tradição de homenagear um grande artista, a sexta edição da CCXP escolheu o cineasta Cao Hamburger, a mente por trás do Castelo Rá-Tim-Bum. No palco, Cao relembrou os tempos de produção da série e da importância de conteúdos maduros para as crianças, algo que, segundo ele, falta mais nos canais abertos. A nostalgia marcou ainda mais os 3.330 lugares no auditório com cenas clássicas do seriado, como a do piloto, da primeira magia de Morgana e da clássica canção Banho é Bom, que fez todos ali presentes soltarem a voz.

Em suas falas, focou na importância do equilíbrio entre o entretenimento e a educação, características bem presentes nas obras de Hamburger. Principalmente em Castelo, muito pela influência de seus pais cientistas.

O final do painel ficou marcado com a entrada do ator e apresentador André Marques para colocar em pauta a série Malhação, na qual Hamburger também esteve muito presente. Os dois falaram pouco dos tempos de ouro da série, porque o foco ficou para o lançamento de A5 Five, spin-off da edição de 2017 da Malhação.


O elenco feminino, marcado por Daphne Bozaski, Gabriela Medvedovski, Manoela Aliperti, Ana Hikari e Heslaine Vieira subiram ao palco para falarem sobre o que o público pode esperar nos 12 episódios, que estarão disponíveis em 2020 na Globoplay.

O elenco tratou da importância do discurso que o roteiro vai trazer. Diante da fase de transição para a vida adulta, as protagonistas vão tocar em pautas como desigualdade, privilégio, feminismo, machismo, entre outros. Assuntos esses que ficaram mais evidentes do trailer que foi exibido em primeira mão para os fãs. E que podem se estender na futura segunda temporada, que Hamburger já confirmou ter roteiro iniciado.

Quem ficou pelo auditório, também conferiu como funcionou todo o trabalho de efeitos visuais de O Rei Leão (2019) e Homem Aranha no Aranhaverso (2018). Quando o assunto foi o live action da Disney, o especialista em efeitos visuais, Julien Bolbach, mostrou conteúdos exclusivos da produção, com cenas dos primeiros testes e todo o processo de criação dos personagens e de toda a ambientação do filme. Apesar do conhecimento de que o filme foi completamente criado através de uma tela verde (ou azul), todo o material inédito enriqueceu ainda mais esse conhecimento. Bolbach trouxe vídeos das gravações na África, da formatação dos personagens e mais detalhes da construção de todo o longa. Inclusive, comentou que cada frame do filme demorou 60 horas para renderizar, por isso, precisaram de mais de 15.000 computadores para concluir a produção.


Depois de várias imagens curiosas, Julien finalizou com um vídeo de erro dos “bastidores” e se despediu em bom tom.


Em Aranhaverso não foi diferente. Pav Grochela, supervisor de efeitos visuais, chegou com cenas das primeiras versões do longa vencedor do Oscar. O supervisor mostrou que a Gwen foi a primeira personagem criada e foi a partir dela que os outros foram desenvolvidos para encaixarem perfeitamente na ambientação que Miller e Lord desenvolveram.

Enquanto isso, o Auditório Prime recebeu nesta quinta o cineasta Felipe Novaes, Hugo Prata, Sarah Oliveira e João Gordo para falarem de “Marginal Alado”, o documentário que narra a carreira do cantor , que morreu em 2013.

Os quatro não só relembraram as dificuldades da produção do filme, como também de várias histórias envolvendo o cantor do Charlie Brown Jr. Apesar do clima leve em grande parte da conversa, também tocaram no assunto das drogas, e afirmaram sobre o filme não ser chapa branca quanto ao assunto. “Marginal Alado” chega aos cinemas em 2020.

E o primeiro dia da CCXP foi encerrado de forma épica! No Auditório Cinemark aconteceu o painel de Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa. Com a presença da diretora e do elenco liderado por Margot Robbie, as convidadas contaram sobre o duro processo de preparação para as personagens e também sobre a importância de um filme de (anti)heroínas. E em meio a tantos discursos extremistas, Robbie afirma “Feminismo não é somente para as mulheres”.

O painel ainda teve a exibição da abertura do filme, com as cenas responsáveis por fazerem a ligação com o predecessor “Esquadrão Suicida”. E posteriormente, um novo trailer do filme foi exibido, levando o auditório a loucura! Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa estreia em fevereiro de 2020.

Se você gosta de verdade da DC, não pode perder a chance de carregar os personagens com você em seu cartão de crédito! Somente a Trigg possibilita isso para você, incluindo no hall de seus cartões personalizados o Batman, Superman, Mulher-Maravilha, Aquaman, Coringa e agora a Arlequina. Peça o seu cartão aqui, e conheça as inúmeras vantagens de Trigg.

E mais! Utilizando o código CINEMAUP você vai receber um desconto especial na sua fatura! Não vai perder né? #BeTrigg