Como todo bom cinéfilo sabe, quinta-feira é dia de estreia nos cinemas brasileiros. Confira abaixo as críticas do filmes que estrearam no dia 25/01.

“O Artista do Desastre”

O longa é uma adaptação do livro “The Disaster Artist: My Life Inside The Room”, que trata da produção daquele que é considerado por muitos o pior filme já realizado: “The Room”, dirigido, escrito e estrelado por Tommy Wiseau em 2003.

“Sem Fôlego”

Gunlint, Minnesota, 1977. Ao atender um telefonema, o garoto Ben é atingido pelo reflexo de um raio, que caiu bem em sua casa. Esta situação faz com que seja levado a um hospital em Nova York, onde descobre que não consegue mais ouvir um som sequer. Em 1927, a jovem surda Rose foge de sua casa em Nova York para encontrar sua mãe, a consagrada atriz Lillian Mayhew. A vida destes dois garotos que não conseguem mais ouvir está interligada a partir de um livro de curiosidades, que os leva ao Museu de História Natural.

“A Repartição do Tempo”

Brasília, início da década de 1980. O REPI (Registro de Patentes e Invenções) acaba de ser capa de uma importante revista nacional, que o coloca como exemplo da burocracia existente no governo. Lisboa, o chefe do departamento, não gosta nem um pouco da reportagem e decide cobrar atitude de seus funcionários, que fazem de tudo menos trabalhar. Paralelamente, o dr. Brasil deseja patentear uma máquina do tempo. Ele deixa o aparelho no REPI e, ao ser colocado no estoque, Jonas acidentalmente o aciona e, consequentemente, volta no tempo. Ao descobrir o ocorrido, Lisboa elabora um plano de forma a obrigar os funcionários a realmente trabalharem, mesmo que para tanto eles precisem ser mantidos em cativeiro.

“Maze Runner: A Cura Mortal”

No terceiro filme da saga, Thomas embarca em uma missão para encontrar a cura para uma doença mortal conhecida como “Fulgor” e descobre que os planos da C.R.U.E.L. podem trazer consequências catastróficas para a humanidade. Agora, ele tem que decidir se vai se entregar para a C.R.U.E.L. e confiar na promessa da organização de que esse será seu último experimento.

“MIB: Internacional”, quando o cliché funciona perfeitamente

Em 1997, “MIB” (ou Homens de Preto, em português) foi um dos primeiros longas “blockbusters” a introduzir uma grande mescla de gêneros cinematográficos: comédia, ficção científica e ação. Protagonizado por Will Smith e Tommy Lee Jones, o filme foi um grande sucesso...

“Fora de Série”: estreia de Olivia Wilde na direção é marcada por aclamada comédia adolescente

Vira e mexe surge uma nova comédia ambientada no ensino médio, que discute as aflições e questionamentos dos formandos que logo terão que lidar com escolhas que irão definir sua vida adulta e reflete sobre como os anos do ensino médio os marcou e os moldou. E como...

Mesmo sendo um suspense com bastante potencial, “Obsessão” ainda deixa a desejar

A tensão é uma ferramenta extremamente importante para o gênero de suspense. Quando bem construída, consegue fazer o espectador se remexer na cadeira imaginando se algo ruim vai ou não acontecer naquela sequência. “Obsessão”, filme com Isabelle Huppert (“Elle”) e...

5ª temporada de Black Mirror não inova em suas tecnologias mas apresenta um conceito mais sensível e reflexivo

“Isso é muito Black Mirror” se tornou uma frase – ou, melhor ainda, um meme – bastante utilizada desde o ano em que a terceira temporada da série foi ao ar, indicando a grande repercussão que a obra antológica estava tendo na cultura pop. Estreada em 2011 pelo Channel...