SINOPSE

Você já reparou, que em um grupo de amigos, sempre tem aquela pessoa menos interessante ou menos atraente, o amigo legal, mas que “não pega ninguém” e ainda ajuda na hora de desenrolar as situações amorosas, possuindo informações privilegiadas sobre aqueles gatinhos (as) com quem anda?! Se você visualizou essa situação ou se encaixa nesse perfil, vai entender melhor a Bianca do filme “D.U.F.F.”.

D.U.F.F. 1

Bianca Piper (Mae Whitman) descobre que é a D.U.F.F – (Designated, Ugly, Fat Friend), de suas melhores amigas Jess (Skyler Samuels) e Casey (Bianca A. Santos), quando seu vizinho, Wesley Rush (Robbie Amell) fala, no meio de uma festa, sem tato algum que as amigas de Bianca são desejáveis e populares e ela é considerada a feia e acessível, aquela que procuram para chegar às suas amigas. A partir daí, o mundo da adolescente vira de cabeça para baixo e ela decide pedir ajuda de Wesley para tornar-se mais desejável.

THE DUFF

Não se engane ao pensar que o filme é mais uma comédia romântica machista, em que a menina feia e desengonçada passa por uma transformação física, e o galã percebe como ela é especial. ‘The Duff’ vai além dos clichês, trazendo uma protagonista forte, irônica e segura. Sua mudança no filme sugere mais questões de autoestima e aceitação do que mudança de comportamento e aparência física. Wesley, por sua vez, ultrapassa o rótulo de atleta garanhão, demonstrando sensibilidade e fragilidades reais, as quais permitem a identificação do espectador.

THE DUFF

Além disso, o filme aborda questões sérias do cotidiano juvenil, como divisão das famílias, divórcio, a obrigação de viver conectados à internet e os perigos do cyberbullying, retomando o estilo do filme “Meninas Malvadas” (2003), que utiliza elementos das comédias românticas adolescentes para criticar a forma como se relacionam os jovens americanos.

D.U.F.F. 4

O diretor Ari Sandel, que dirigiu “Clube da Comédia” (2006) consegue utilizar elementos gráficos para deixar o filme com aspecto jovem e atual; É possível sentir-se transportado em algumas cenas, da tela do celular para realidade. E apesar da narrativa manter a estrutura clichê dos filmes desse gênero, desenrolando o clímax no “baile de formatura”, é notório a química entre o casal principal, que ilustra cenas realistas e engraçadas, mas que facilmente qualquer casal real consegue se identificar.

D.U.F.F. 6

Destaque para os momentos delicados com a Sra. Piper (Allison Janney), que introduzem no filme questões relacionadas ao divórcio e a diferença entre a superação dos pais e dos filhos, assim como a cena onde ela retoma seu papel de mãe na vida de Bianca.

D.U.F.F. 5

‘D.U.F.F.’ é um filme divertido, crítico e interessante, apesar de não se aprofundar em nenhuma das questões abordadas acima, consegue ser irônico, divertido e ainda um pouco mais reflexivo em comparação a outras produções do gênero.

Trailer do Filme: