SINOPSE

Uma jornada pela carreira de um dos maiores diretores da sua geração.

FICHA TÉCNICA

Direção:

Susan Lacy

Roteiro:

Susan Lacy

Gênero:

Biografia, Documentário

Produção:

Elenco:

Steven Spielberg

Nacionalidade:

EUA

Ano de Produção:

2017

Data de Lançamento:

09/10/2017

Distribuição:

HBO

CLASSIFICAÇÃO

Direção:

Roteiro:

Fotografia:

Trilha-Sonora:

Efeitos Visuais:

Efeitos Especiais:

Direção de Arte:

Elenco:

Montagem:

Figurino:

Maquiagem:

Se há um cineasta tão amado e com uma das carreiras mais frutíferas em Hollywood, essa pessoa é Steven Spielberg. Sua versatilidade e imaginação possibilitaram ao diretor a presentear inúmeros amantes do cinema com vários clássicos do drama e da fantasia, o tornando um dos realizadores mais respeitados de sua geração. Nesta segunda (09), os canais HBO vão homenageá-lo com o documentário “Spielberg”.

Dirigido por Susan Lacy, uma produtora experiente em documentários biográficos – como “Woody Allen: A Documentary” e “Janis: Little Girl Blue” – o filme é composto por depoimentos de vários convidados que fizeram parte da vida e carreira de Spielberg, além do próprio diretor.

“Spielberg” é um especial indispensável para fãs do cinema e do homenageado, é claro. Com 2 horas e 20 de duração, o documentário consegue passear por praticamente toda a prolífica carreira do diretor, dando destaque aos seus trabalhos mais marcantes. O olhar de Spielberg para a profundidade de um filme, indo além do óbvio e a forma como é movido por desafios são muito bem retratados ao longo da produção.

Apesar de focado mais na carreira do que na sua vida pessoal, o filme consegue “adentrar” no homem por trás da câmera, através da relação com os pais e as irmãs, e a forma como eventos foram influenciando e direcionando sua carreira. Depoimentos sobre sua infância, alguns dos seus primeiros filmes amadores e a maneira criativa como já se virava na época, certamente vão dar ao espectador uma visão mais humana aos seus projetos.

 

 

Mesmo com um ritmo dilatado e paciente, o filme mantém o interesse explorando a maneira criativa e as motivações que levavam o diretor a escolher e lidar com seus projetos. Por exemplo, alguns segredos sobre a produção de “Tubarão”, e como o sucesso do filme mudou sua vida na indústria; a insegurança pessoal na infância que o inspirou a fazer “E.T. – O Extraterrestre”; a revolução visual de “Contatos Imediatos do Terceiro Grau” e posteriormente, “Jurassic Park”, “Minority Report” e outros.

Também merecem destaque a transição de blockbusters como “Indiana Jones” para dramas de assuntos mais pesados, como “A Cor Púrpura”, “Império do Sol” e “A Lista de Schindler”. Este último, inclusive, também aborda como seu casamento e o próprio filme foram importantes para que ele fizesse as pazes com suas raízes judaicas. Confesso que por várias vezes, eu me pegava sorrindo sem perceber e até emocionado em alguns momentos.

Um talento extremamente precoce do cinema – que já estava dirigindo estrelas como Joan Crawford aos 22 anos de idade – Spielberg dispensa mais apresentações da minha parte. Vale mencionar que dentre as participações especiais estão vários ícones da Nova Hollywood, um dos movimentos mais importantes do cinema nos anos 70 e que definitivamente mudou a indústria para sempre – como Martin Scorsese, Francis Ford Coppola, Brian de Palma e seu parceiro George Lucas.

Relembrando que “Spielberg” será exibido nesta segunda (09) ás 22 horas nos canais HBO.

E você, já assistiu ou está ansioso para ver? Concorda ou discorda da análise? Deixe seu comentário ou crítica (educadamente) e até a próxima!

Para mais comentários sobre filmes, sigam-me nas redes sociais:

https://www.instagram.com/danilo_calazans/

https://www.facebook.com/calazansdanilo