Foi na década de 30 que o cinema conheceu as cores. Desde então, inúmeras produções exploram diversas paletas, utilizando os tons variados para dar sentido e impulsionar as narrativas. Mas para muitos cineastas o preto e branco ainda tem muito a dizer sobre seus personagens e suas histórias.

IMAGEM 1

Pensando nisso, que tal se aventurar com filmes contemporâneos que, utilizando o PB, foram capazes de evocar, não o tempo passado, porém os dramas globais que ainda afetam nossos dias atuais.

Sobre Café e Cigarros (2003)

Jim Jarmusch conseguiu unir 11 diferentes curtas em um único filme. Seus personagens estão sempre em algum café em algum lugar fumando algum cigarro. Bill Murray passa “despercebido” como um garçom e os White Stripes descobrem a Bobina de Tesla. Estes são apenas alguns dos fatos contidos nessa trama que retrata, através do recorte de um momento, diferentes tipos e personalidades falando basicamente sobre a simplicidade – nada normal – da vida.

IMAGEM 2

Frances Ha (2012)

Greta Gerwig interpreta uma garota de vinte e tantos anos com a ambição – nada realista – de se tornar uma super dançarina na badalada Nova York. O filme de Noah Baumbach retrata a essência dos dias atuais com uma geração repleta de pessoas com a mente aberta, pseudo artistas e intelectuais. Além da relação entre a protagonista e sua melhor amiga, que parece acabar enquanto elas seguem caminhos distintos. A escolha de PB dá ao longa a sensação de que essa história poderia acontecer em qualquer época.

IMAGEM 3

Nebraska (2013)

A história da relação entre pai e filho que se desenvolve em uma viagem de carro, é também a história do passado de um homem que hoje está mais velho e possivelmente menos lúcido. Há momentos no filme que se desenvolvem brilhantemente e são capazes de tornar a história surpreendentemente comovente. Seja na pureza dos diálogos, ou na sinceridade das intenções, as personagens são engrandecidas com os diferentes tons de cinza presentes nessa produção PB.

IMAGEM 4

Ida (2013)

Ida é uma jovem freira que visita sua tia logo antes de fazer seus votos. É nessa viagem que ela descobre algo que lhe faz repensar toda a sua vida e qual caminho seguir. A personagem é sempre espremida em algum canto da tela em todos os planos, essa composição e o preto e branco destacam os detalhes de seu rosto e suas figura no geral, retratando sua apreensão, suas descobertas e, finalmente, seu amadurecimento. Vencedor do Oscar de Melhor filme estrangeiro, “Ida” é um filme que vale cada minuto.

Ida, other films

O Ciúme (2013)

Este é um filme sobre expectativas e frustrações, no qual um homem lida com as diferentes formas de ciúme e amor. O branco e preto captam a estagnação desta narrativa, que se desenvolve através da busca dos personagens por algo que seja capaz de preenche-los. “O Ciúme” mostra como o amor é algo que não pode ser construído no nada, pelo contrário, que deve ser alimentado através das experiências vividas no passado.

IMAGEM 6