Ontem (7) aconteceu a 75ª edição do Globo de Ouro.

O apresentador do evento Seth Meyes, os apresentadores dos prêmios e vencedores, não pouparam alfinetadas e discursos de empoderamento a diversas causas como, diferença salarial entre homens e mulheres, a não indicações de mulheres na categoria de Melhor Diretor e sobre os assédios da indústria do entretenimento.

Porém nem todas as causas usaram a voz, houveram diversos protestos silenciosos, além das atrizes irem de roupa preta em luta contra o assédio, muitas delas levaram como acompanhantes ativistas.

A primeira foi Meryl Streep que levou Ai-Jen Poo, defensora dos direitos das trabalhadoras domésticas.

Emma Watson foi acompanhada de Marai Larasi, que luta contra a violência contra mulheres negras e minorias, sendo ela a diretora executiva da instituição Imkaa.

A atriz Laura Dern estava acompanhada de Mónica Ramírez, que luta pelo empoderamento das mulheres latinas e combate a violência sexual contra trabalhadoras rurais.

Susan Sarandon levou Rosa Clemente, a qual é uma ativista focada em prisioneiros políticos e na independência de Porto Rico.

Emma Stone foi acompanhada da tenista Billie Jean King, fundadora da Associação de Tênis Feminino (WTA).

Michelle Williams chegou com Tarana Burke, fundadora do movimento #MeToo, que encoraja as mulheres a denunciar os assédios, e da organização Garotas pela Equidade de Gênero.

A atriz de “Big Little Lies”, Shailene Woodley levou Calina Lawrence, que luta por causas relacionadas aos nativos americanos.

Além das atrizes citadas, a comediante Amy Poehler também participou do movimento, levando como acompanhante Saru Jayaraman, defensora dos direitos de funcionários de restaurantes.