Poster

Há exatos 20 anos, em 1996, os cinemas lançavam ‘Independence Day’, filme que ficaria marcado na cabeça de um grandioso número de pessoas pelos seus incríveis efeitos especiais, muito avançados para a época, e também por ser um dos principais filmes sobre o sempre polêmico assunto ‘vida extraterrestre’. O primeiro filme da franquia traz um tom cômico, e por mais que incomode um pouco, é aceitável e faz parte de um formato de gênero.
‘Independence Day – O Ressurgimento’ chega aos cinemas duas décadas depois sendo fiel à muitos fatores presentes em seu antecessor.

bill-pulman-840x505

O segundo filme da franquia, também dirigido por Roland Emmerich, resgata elementos importantes do primeiro, portanto a experiência em assisti-lo é melhor quando se está com o ‘Independence Day’ de 1996 fresco na memória. Os atores Bill Pullman, Jeff Goldblum, Judd Hirsch, Vivica A. Fox e Brent Spiner, que fizeram parte do elenco em 96 voltam para ‘O Ressurgimento’, ajudando a produção a fazer mais sentido. Ingressam no elenco Liam Hemsworth, Maika Monroe, Jessie Usher, Sela Ward e William Fichtner. Ótimos atores em um péssimo filme.

20160616-independence-day-clipe

Se o formato cômico adotado por Emmerich no primeiro filme já incomodava e comprometia a credibilidade do enredo, neste segundo filme ele passa dos limites. Há tantas piadinhas fora de hora que dá a impressão de que os próprios personagens não acreditam no que está havendo com o mundo. Não há graça alguma em ver o mundo acabar e por mais que ‘Independence Day – O Ressurgimento’ venha com aquele propósito do primeiro, de se apegar em um tom mais sarcástico para desenvolver a história, tudo foge da naturalidade e faz o filme parecer uma grande bobeira. ‘O Ressurgimento’ com certeza não segue os padrões do método de Stanislavski (método que busca alcançar a veracidade na criação do personagem).

Os efeitos visuais são ótimos, mas também seguem uma forma mais clichê de criação. Não há nada aqui que já não vimos anteriormente, salvo algumas cenas interessantes. Enfim, ‘Independence Day – O Ressurgimento’ é ruim pois não passa verdade. Estamos falando sobre um assunto até então totalmente fictício, mas a missão do Cinema é passar verdade com os mais diversos assuntos. ‘O Ressurgimento’ não fez a lição de casa.

Confira a entrevista que fizemos com o ator Bill Pullman em sua passagem pelo Brasil: