Ao longo da semana, você conferiu, aqui no Pipoca de Pimenta, matérias que trataram de algum assunto relacionado ao Dia dos Namorados, celebrado neste domingo (12), não é? Textos esses que abordavam diversos temas como estar sozinho nesta data, namoro à distância, casais nada ou quase nada perfeitos, dentre outros temas.

Agora, você fica sabendo o motivo do surgimento da data e o sucesso dela no Cinema. Antes, eu te conto um pouco sobre como o Dia dos Namorados começou a ser comemorado entre os apaixonados. Tudo começou graças a São Valentim. O que o santo tem a ver com isso?! Tudo. Se não fosse por ele, nós não teríamos inspiração para comemorar a data com nossos companheiros e os diretores e roteiristas não abordariam o tema nas telonas.

Idas_e_vindas_do_amorJennifer Garner e Ashton Kutcher em Idas e Vindas do Amor, de 2010, dirigido por Garry Marshall

Existem muitas explicações para o surgimento do Dia dos Namorados. Na Idade Média, o padre São Valentim foi proibido pelo imperador Carlos II de celebrar casamentos durante as guerras, pois acreditava que os solteiros eram melhores combatentes. O padre burlou as regras e continuou realizando os casórios, levando-o à prisão e, posteriormente, à morte. Antes de sua execução, Valentim apaixonou-se por uma jovem cega, filha do carcereiro, e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão. No dia de sua morte, ele escreveu um bilhete assinando-o como “seu namorado” e “seu Valentim”.

Além disso, na mitologia grega, era realizada uma festa sempre nos dias 14 de fevereiro – data celebrada e adicionada ao calendário dos países do hemisfério norte -, na qual era celebrada a fertilidade, homenageando Juno (deusa da mulher e do casamento) e Pan (deus da natureza). Já no Brasil, o Dia dos Namorados é comemorado no dia 12 de junho, pois é véspera do dia de Santo Antônio, considerado o santo casamenteiro. A data tornou-se mais comercial, pois a troca de presentes tornou-se bem popular.

Um_amor_para_recordar‘Um Amor Para Recordar’, de 2002, marcou a história de muitos casais

Agora, vamos ao que interessa. No Cinema, o assunto vem regado de casais românticos, choradeira e moços bonitos que se apaixonam pela moça feia. A construção dos filmes fazem qualquer garota suspirar ou até fazer marmanjos chorarem – se você, garotão, se identificou com essa situação, pode ficar tranquilo, não vou espalhar para ninguém, ok? O filme ‘500 Dias com Ela’ explora essa questão e eu tenho certeza de que os meninos vão adorar.

500_dias_com_elaCena do filme ‘500 Dias Com Ela’, de 2009, dirigido por Mark Webb

No longa, Tom Hansen (Joseph Gordon-Levitt) está em uma reunião com seu chefe, Vance (Clark Gregg), quando ele apresenta sua nova assistente, Summer Finn (Zooey Deschanel). Tom logo fica impressionado com sua beleza, o que faz com que tente, nas duas semanas seguintes, realizar algum tipo de contato. Eles conversam sobre o amor, dando início a um relacionamento fadado ao fracasso.

Não queremos que seu relacionamento tome o mesmo rumo, mas a comédia romântica é muito legal e pode lhe render um grande aprendizado.O Cinema também tem uma forma de abordar os relacionamentos de várias formas, seja aqueles relacionamentos a la ‘O Vento Levou…’ ou efêmeros como em ‘Amizade Colorida’. Agora, se você acredita que uma “amizade colorida” não pode virar um relacionamento, você está completamente enganado.

Amizade_coloridaMila Kunis e Justin Timberlake atuam como um casal despojado em ‘Amizade Colorida’, de 2011

O filme estrelado por Mila Kunis e Justin Timberlake, te prova essa teoria. A história gira em torno do casal Jamie e Dylan que se tornam amigos e após assistirem a um filme na casa dela, conversam sobre como a carência sexual incomoda ambos. Eles fazem um pacto de que terão apenas sexo, sem qualquer envolvimento emocional. Só que, aos poucos, a intimidade faz com que eles se tornem cada vez mais próximos e interessados um no outro. É divertido!Agora, algo que me chama atenção é como os produtores têm o dom de nos fazer chorar com poucos elementos.

A vida nos prega peças, situações inesperadas acontecem em todo momento, inclusive nas vidas amorosas, e eles conseguem explorar absolutamente bem essas questões. Se você faz o tipo romântico até debaixo d’água, assista ao filme ‘Um Dia’, estrelado pela linda Anne Hathaway e o incrível Jim Sturgess. Essa é a típica história de amigos que se tornam os melhores namorados ao longo do tempo.

Um_diaEncontros e desencontros marcam ‘Um Dia’, estrelado por Anne Hathaway e Jim Sturgess

O filme baseado no romance homônimo do próprio roteirista do filme, David Nicholls, conta a história de Emma e Dexter, que se conheceram na faculdade, em 15 de julho. Esta data serve de base para acompanhar a vida deles ao longo de 20 anos. Neste período, Emma enfrenta dificuldades para ser bem sucedida na carreira, enquanto Dexter consegue sucesso fácil, tanto no trabalho quanto com as mulheres. A vida de ambos passa por várias outras pessoas, mas sempre está, de alguma forma, interligada. Quer uma boa história?
Assista acompanhado do seu amor e não se arrependerá!

Amores impossíveis também são temas muito abordados no Cinema. Até parece que o casal Romeu e Julieta inspirou muitos roteiristas por aí. E é claro que não poderia faltar o clássico dos filmes comoventes: ‘Cidade dos Anjos’, estrelado por Meg Ryan e Nicolas Cage. É o tipo de filme que instiga todos os casais em qualquer época.

Cidade_dos_anjosO clássico ‘Cidade dos Anjos’, de 1998, mostra o sacrifício do anjo Seth para ficar com sua amada

O anjo Seth, encarregado de tomar conta de Los Angeles, se apaixona pela mortal Maggie, uma cirurgiã que ficou arrasada quando perdeu um paciente durante uma operação. O amor faz com que ele pense em desistir da eternidade para ficar com ela. O longa deixa o coração partido, angustiado com o desenrolar da trama. Com uma trilha sonora sensacional, é impossível não se emocionar.

Hollywood é especialista em fazer produções se tornarem marcantes, como é o caso de ‘Encontro Marcado’, considerado uma das mais perfeitas histórias de amor retratadas até hoje. O filme é de uma preciosidade só, pois em sua simplicidade, o diretor Martin Brest trata com delicadeza, sensatez, sem apelações e uma fotografia impecável a paixão entre a morte personificada (Brad Pitt) e a filha mais nova (Claire Forlani) de Will “Bill” Parrish (Antony Hopkins). Estranho no início, mas é surpreendente como a história se desenvolve.

Encontro MarcadoClaire Forlani e Brad Pitt se “apaixonam” em ‘Encontro Marcado’, de 1998, dirigido por Martin Brest

Nós demos algumas dicas, mas existem outros filmes muito bons prontos para serem conferidos com aquela pessoa especial nessa data tão importante. Mas se você não tem com quem assistir a um filme nesta data, não fique triste. Deixe a imagem do Santo Antônio de lado, enrole-se em um cobertor, pegue uma pipoca e aprecie sua própria companhia, afinal o que vale é assistir obras de qualidade. Feliz Dia dos Namorados a todos os apaixonados!