O mês de fevereiro se encaminha pro final e com ele chega a cerimônia do Oscar 2017. Dentre as 24 categorias da premiação, há a de Melhor Figurino. Nela, leva-se em consideração todas as roupas, acessórios e calçados dos personagens, projetados e/ou escolhidos pelo figurinista de acordo com as necessidades do roteiro, personagem, direção do filme e possibilidades do orçamento.

Pode passar despercebido para muitos ou, simplesmente, ser visto como um detalhe da produção, mas o figurino é algo muito importante dentro de uma obra cinematográfica. A partir dele podemos conhecer muito do personagem em tela, como seu perfil psicológico, sua classe social e a época em que se ambienta a obra.

A premiação do Oscar foi criada em 1929, por Louis B. Mayer, mas apenas depois de 19 anos da sua primeira edição que surgiu a categoria de Melhor Figurino. Naquela época, ela era dividida em duas subcategorias: Melhor Figurino Preto e Branco e Melhor Figurino Colorido. Nos anos de 1957 e 1958 não houve essa distinção, sendo os vencedores “Les Girls” e “Gigi” respectivamente. Porém apenas em 1967 é que essas subcategorias foram abandonadas, sendo o vencedor desse ano “Camelot”.

Esse ano de 2017, os cinco indicados são: “Aliados”, “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, “Florence: Quem É Essa Mulher?”, “Jackie” e “La La Land”. Hoje iremos falar sobre o mais novo filme do universo mágico de J. K. Rowling.

O figurino e os personagens de “Animais Fantásticos e Onde Habitam

O filme se passa em 1926 e conta a história do autor de um livro usado por Harry em Hogwarts, “Animais Fantásticos e Onde Habitam”. Newt Scamander chega a cidade de Nova Iorque com sua maleta, onde ele carrega diversas criaturas mágicas. Porém, muitas delas conseguem escapar. Para impedir que o mundo bruxo seja exposto aos trouxas, ele precisará usar suas habilidades e conhecimentos e recapturar todas as criaturas.

Colleen Atwood é quem assina o figurino deste filme. E não é a primeira vez dela na maior cerimônia do cinema: ela já venceu 24 prêmios, entre eles 3 Oscars por “Chicago” em 2002, “Memórias de uma Gueixa”, em 2006, e “Alice no País das Maravilhas”, em 2010. Além destas, Colleen já trabalhou em grandes filmes como “Edward Mãos de Tesoura”, “Silêncio dos Inocentes”, “Filadélfia”, “Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas” e “Sweeney Todd”. Atualmente, trabalha nas séries “Supergirl” e “The Tick” e no filme “Tom Raider”.

O trabalho de Atwood começou com o protagonista, Newt Scamander (Eddie Redmayne). Ele deveria parecer um tanto deslocado na cidade de Nova York, de modo que suas roupas não deveriam se parecer com as dos demais personagens. Além disso, por ser um viajante, deveria vestir algo prático.

Por ser o herói da história, também deveria ter destaque em tela, razão pela qual é um dos poucos personagens que usa roupas mais coloridas. Inclusive, um detalhe interessante é o seu colete amarelo. A escolha da cor não foi a toa: quando estudava em Hogwarts, Newt pertencia à Lufa-Lufa, que tem esta como a cor principal.

Créditos: Divulgação

A personagem de Katherine Waterston, Tina Goldstein, é uma pessoa mais quieta, que não quer chamar atenção justamente por conduzir uma investigação secreta. E seu figurino reflete essa personalidade mais introvertida: na maior parte do tempo usa roupas largas de cores escuras e discretas.

Créditos: Divulgação

Já o trouxa Jacob Kowalski, interpretado por Dan Fogler, representa toda a comunidade de não mágicos e, por isso, sua roupas são mais comuns. Dentre os quatro personagens principais, vemos que ele é o único que tem um paletó que acaba na altura de cintura, ou seja, uma roupa social mais tradicional. Também podemos observar que suas roupas são muito amarrotadas e largas, como se tivesse uma condição financeira limitada – fato que é depois revelado de modo mais claro quando ele pede um empréstimo.

Créditos: Divulgação

A Lengilimens Queenie Goldstein é outra personagem que tem um pouco mais de cor em suas roupas. Para ser mais específica, sempre tem um detalhe em rosa em seu figurino, cor que representa esse lado mais sedutor da personagem de Alison Sudol. Também vemos uma grande variedade de texturas, como veludo e renda. Ela também usa roupas mais leves e divertidas, refletindo a sua personalidade efervescente e animada, mas que mantém certa inocência.

Créditos: Divulgação

Um momento marcante com relação ao figurino foi quando as duas irmãs se trocam para entrar no bar do goblin Gnarlak. Em um toque da mágica, as personagens passam de suas roupas casuais, para vestidos elegantes e sexy.

Créditos: Divulgação

Créditos: Divulgação

Créditos: Divulgação

Há dois outros momentos que são pertinentes a ser lembrado, porém aqui vai um aviso: a partir daqui terão SPOILERS.

O primeiro é quando Queenie quer salvar Tina das mãos de Percival Graves na MACUSA. Mas, para o seu plano dar certo, ela precisa ser discreta. Por isso, vemos Queenie com um vestido predominante preto.

Créditos: Divulgação

O segundo momento é no final do filme, quando (de novo) Queenie vai visitar Jacob em sua nova padaria. Como está apaixonada pelo trouxa, a personagem está toda de rosa, ou seja, deixando claro seus sentimentos.

Créditos: Divulgação

Vocês acham que Colleen Atwood e “Animais Fantásticos e Onde Habitam” têm chances de levar o Oscar? Deixe sua aposta nos comentários!