Pimenteiros de plantão! Hoje faremos uma nova descoberta nessa terra desconhecida que vai além do universo dos grandes lançamentos. Se esta é sua primeira visita, este é o Perdido nas Prateleiras, aqui falamos sobre coisas valiosas que passam despercebidas no nosso radar. Uma vez por semana (sexta-feira) falaremos sobre alguma obra não tão comentada quanto as mais festejadas, coisas que estão por aí e talvez você não conheça, e se você conhecer compartilhe essas raridades que merecem a nossa atenção e a de todos.

Hoje lhes trago o anime ‘Terror In Resonance’. A história é sobre dois terroristas que subitamente bombardeiam Tóquio. Os terroristas são dois garotos, conhecidos como “Sphinx” que começam um grandioso jogo que engloba todo o território japonês.

perdido-nas-prateleiras-6-terror-in-resonance-1

Me causa certo estranhamento ‘Terror In Resonance’, não ter o prestígio que merece perante seu público alvo. É claro que a concorrência de ‘One Piece’, ‘Naruto’, ‘One Punch Man’ e ‘Shingeki No Kyojin’ torna essa missão um pouco mais complicada, porque esses animes atingem um público muito maior, até pelo seu aspecto que aborda a mais pura aventura. Diferente dos animes citados anteriormente, ‘Terror In Resonance’, tem um tom mais sério, com uma história já conhecida, porém inovadora na forma como é abordada. Os dois protagonistas são bem distintos, Nine, é frio e calculista, já Twelve é extrovertido com um inteligência ímpar. E ambos contam com a companhia de Risa, uma garota com problemas familiares e sem propósito que cruza o caminho dos dois terroristas.

O que torna mais curiosa ainda a pouca popularidade de ‘Terror In Resonance’ é fato deste ser uma do grande Shinichirô Watanabe, um dos criadores de ‘Cowboy Bebop’ – um dos melhores animes da história.

O estilo dos dois animes é semelhante em alguns aspectos, além do traço, a proporção que a história e seus personagens tomam é instigante. Mais uma vez Watanabe sabe qual trilha sonora dá mais vida aos seus arcos. Vale frisar que esta é uma daquelas trilhas que faz com que você baixe e coloque no seu celular para ouvir por horas. O impulsionou ‘Zankyou No Terror’ a entrar na minha prateleira de boas histórias, se deve muito ao sentido em que a trilha nos entrega a história. O apreço de ver o genial músico Arnór Dan, aumenta ainda mais o sentimento pelo anime.

perdido-nas-prateleiras-6-terror-in-resonance-2

Pegando o gancho da trilha sonora, uma delas acompanha uma das melhores cenas que vi no ano. Arnór Dan embeleza o ambiente com a música “Von”. Existe uma cena em que uns dos personagens esta em perigo em uma roda gigante, e é uma cena ao mesmo tempo linda e aterrorizante. Por ser um anime, às vezes a perca de expressão deixam os personagens genéricos demais, mas aqui vemos em poucos diálogos, a fantástica música Von e reações muito delicadas dos personagens, a partir daí passei a ver ‘Terror In Resonance’ de forma filosófica, o que existe por trás daqueles traços é tão vívido, algo difícil de conseguir.

perdido-nas-prateleiras-6-terror-in-resonance-3

Você pode ter variados pretextos para não ver animes, porém está é a oportunidade de conhecer uma obra fantástica. Acredito que se a cena da roda gigante não te afetar, é melhor você ir ao médico mais próximo e mandar alguém arrumar as suas peças, pois se até o TARS – o robô de ‘Interestelar’ – tem os seus 70% de humanidade, você não poderia se dar ao luxo de não apreciar o impacto final desta obra.
Vale lembrar que o anime está disponível no Netflix. Até a próxima semana, galera.