“Os Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro” é a segunda parceria nos cinemas entre o apresentador Danilo Gentili e o diretor Fabrício Bittar, depois de ensinar como ser o pior aluno da escola agora o objetivo é combater a loira do banheiro.

Os protagonistas são um grupo de amigos que apesar de já não possuírem o status de adolescentes há muito tempo, continuam se comportando como tal. O grupo formado por Jack (Danilo Gentili), Caroline (Dani Calabresa) e Fred (Léo Lins) se diz especialista em fenômenos sobrenaturais e aspiram o reconhecimento do seu canal no Youtube. Além deles, Túlio (Murilo Couto), também faz parte do grupo por trás das câmeras mesmo que eles não o considerem um membro de fato.

Após uma ligação do diretor do Instituto Isaac Newton, Nogueira (Sikêra Junior), o grupo vai até a escola para combater uma assombração que os alunos afirmam ser a loira do banheiro.

Sikêra Junior assim como grande parte do elenco não é ator e sim apresentador, ele apresenta um programa policial em Alagoas e ficou conhecido por frases como “Você que fuma maconha, você vai morrer antes do natal” e “Mulher que não pinta a unha é sebosa”.

O apresentador afirma que foi uma primeira experiencia no cinema traumatizante e não pretende em hipótese alguma repetir o feito: “Primeiro que eu não sabia como se fazia cinema, não achava que era tão complexo, é muita parafernalha, muita gente envolvida…. é muito demorado pra gravar, …. eu nunca pensei que fosse fazer uma cena 57 vezes, isso é negócio de filho d….., não quero mais não”.

Após explicar o caso para os exterminadores do além, o diretor do colégio, que acredita que isso não passa de uma histeria entre os alunos, convida o grupo para passar a noite no colégio para acalmar os ânimos de todos. No decorrer da noite eles que pretendiam fingir que cuidaram de mais uma assombração que eles mesmo produziriam descobrem que dessa vez o problema é real e como, diferente do que afirmam, eles não têm nenhuma competência para lidar com o sobrenatural a noite se torna uma corrida pela sobrevivência.

O filme abusa da linguagem de internet, utilizando em vários momentos memes na tentativa de fazer com que o publico ria da piada por ter reconhecido a referência, e em vários momentos se resume a frases como “Sua arrombada”, bem no estilo de humor adolescente de ensino fundamental, porém ainda que o ambiente, um colégio, o vilão, uma lenda muito conhecida e praticada em muitas escolas e a linguagem sejam diretamente ligadas a alunos da quinta série, o filme logo abandona qualquer interação com as crianças da escola, somente na segunda metade do filme que o personagem de Matheus Ueta, que invocou a loira do banheiro, volta para a trama.

Para fazer jus ao gênero de terror a produção aposta em sangue, muito sangue, uma edição de som carregada na tentativa de fazer o publico pular de susto e cenas escuras, já que o filme se passa a noite. O diretor, Fabricio Bittar afirma que a intenção foi criar um universo próprio para o filme, mas com muitas referencias dos filmes da década de 80 e 90, apostando muito mais nos efeitos práticos do que na pós-produção.

Dentre os personagens, o de Murilo Couto é o que mais se destaca, Tulio o participante rejeitado do grupo é o que tem mais desenvolvimento. Assim como em “O Pior Aluno da Escola” de 2017, Danilo Gentili interpreta uma versão de si mesmo, mantendo sua personalidade e trejeitos e Barbara Bruno, uma das poucas atrizes no elenco, é quem segura as cenas, como afirma o próprio Gentilli.

“Teve cena ali que eu dou uma fala e a Barbara vem atrás e fala, eu falei pro Fabricio, corta a minha e deixa só a Barbara, essa a Barbara segura”, conta o apresentador.

“Os Exterminadores do Além Contra a Loira do Banheiro” é apenas um pretexto para Danilo Gentili afirmar mais uma vez seu posto auto assumido de defensor do humor sem limites, menos polêmico que seu filme anterior, aqui ele recorre a um humor escatológico e imaturo que na maioria do tempo não é nada além de constrangedor.