sing2016
‘As audições vão começar’.

8 FATOS PARA VOCÊ NÃO PERDER ‘SING’, UMA DAS MELHORES ANIMAÇÕES DO ANO

1 – RESUMO: O filme acompanha a história de Buster Moon (Matthew McConaughey), um coala que desde muito jovem adorava teatro, mas que se encontra em condições financeiras bastante precárias com o risco de perder seu teatro e desistir do seu sonho, caso não pense logo em uma nova atração de sucesso. Assim, ele junta todas as suas economias e abre um concurso para descobrir novos talentos da música. O filme é do estúdio Illumination (distribuído aqui no Brasil pela Universal Pictures), que ganhou notoriedade com os sucessos ‘Meu Malvado Favorito’, ‘Minions’ e o mais recente ‘Pets: A Vida Secreta dos Bichos’.

2 – ESSÊNCIA: O filme traz consigo uma mensagem muito bonita de não deixar o medo te impedir de fazer o que ama. Seguir seu sonho mesmo quando tudo parece perdido, se necessário lutando contra parentes, namorados, falta de dinheiro e etc. Acredito que a essência de ‘Sing’ é mostrar que não importa a situação em que você se encontra hoje e o quão longe está de alcançar seu sonho, jamais deixe de tentar, pois nunca é tarde demais.

3 – CURIOSIDADES: É o quarto filme entre os grandes estúdios de cinema este ano a se passar em um universo antropomórfico (onde os animais agem como os seres humanos), após ‘Zootopia’ (Disney), ‘Kung Fu Panda 3’ (Fox) e ‘Angry Birds’ (Sony). É o segundo filme da Illumination com temática musical, seguindo ‘O Lorax: Em Busca da Trúfula Perdida’. Caso alguém esteja se perguntando, ‘Sing’ é claramente inspirado em programas musicais televisivos como ‘The Voice’, ‘X-Factor’ e outros, contando com uma vasta seleção de músicas populares que devem agradar muito aos fãs deste tipo de atração.

4 – ROTEIRO: Um dos grandes atrativos em uma história é nos fazer sentir como os conflitos vão atrapalhando os personagens a alcançarem seus objetivos. Isso também reflete na nossa vida pessoal, são os momentos difíceis que nos moldam e definem quem somos, pois sem eles, não mudamos ou crescemos como pessoas. Pensando nisso, considero o roteiro de ‘Sing’ um dos seus maiores atrativos. A quantidade de personagens vivendo seus próprios dilemas é impressionante em termos de desenvolvimento de personagem.

5 – CONFLITOS: Temos o protagonista que está prestes a perder o trabalho de sua vida por falta de dinheiro; outro personagem que precisa vencer a timidez; um que contrariou seu pai para escapar de uma vida de crime; outra fadada a viver o resto de seus dias como dona de casa; outra com namorado controlador; um artista de rua talentosíssimo, mas arrogante e etc. É claro que os dilemas não são tão aprofundados – afinal, é uma animação (também) para crianças -, mas desta forma abrangente fica muito mais fácil de algum espectador se identificar com um dos personagens. Lembre-se que o grande filme não é aquele que a maioria diz gostar, mas aquele que toca ou te ajuda de alguma forma.

6 – PERSONAGENS: Outro atrativo é que os personagens são agradáveis de acompanhar, ficando até difícil de escolher um favorito a vencer o show. E conforme os conflitos aumentam – destaque para o dilema sofrido pelo gorila Johnny (Taron Egerton) – a carga emocional do filme cresce bastante, tendo capacidade inclusive de emocionar o espectador. Há um equilíbrio perfeito entre os personagens engraçados, que vão render os momentos de descontração e aqueles cujos dramas vão gerar mais comoção, além de passar por transformações de caráter (lembram quando eu disse que os conflitos nos fazem crescer?). Reparem no coala, como ele começa o filme fazendo uma introdução de si mesmo (indicando egocentrismo e interesse particular) e ao longo do filme como ele passa a se importar muito mais com os outros.

Buster Moon sendo apresentado por... Buster Moon Buster Moon sendo apresentado por… Buster Moon

7 – ELENCO E MÚSICAS: ‘Sing’ conta com uma verdadeira constelação de atores. Matthew McConaughey, Reese Witherspoon, Scarlett Johansson, Seth MacFarlane, John C. Reilly, Taron Egerton e a cantora Tori Kelly, que vivenciou o próprio drama do filme na vida real – após ser eliminada do programa American Idol, compôs e gravou algumas músicas por conta própria para provar que era capaz e conseguiu contrato com uma grande gravadora, atingindo seu sonho de ser cantora. Quanto a seleção musical, a diversidade é tanta que vai de Beyonce e Lady Gaga a Seal e Frank Sinatra, além de rap, rock e até ‘Ragatanga’, rendendo momentos hilários durante o filme. E o que dizer do ‘empoderamento suíno’ do porquinho Gunter (Nick Kroll)?

sing-teaser-trailer O engraçado Gunter e seu ‘empoderamento suíno’

8 – É A MELHOR ANIMAÇÃO DO ANO? ‘Sing’ é divertidíssimo, contagiante, tem cenas realmente muito engraçadas e consegue transmitir de maneira muito atraente a sua mensagem de correr atrás e acreditar nos seus sonhos. A direção de Garth Jennings e Christophe Lourdelet é muito boa porque eles conseguem transmitir no espectador a sensação que a cena quer passar. Em outras palavras, quando há uma cena descontraída, ela realmente é engraçada, as piadas são boas. Quando há um momento mais emocionante, a cena consegue transmitir essa emoção de forma muito sensível. Mas eu ainda fico com ‘Zootopia’ como melhor animação do ano por dois motivos: é um filme que discute temas mais relevantes para nossa sociedade atual (como inclusão, por exemplo) e pela qualidade ‘gráfica’ do filme que é impecável, e nesse aspecto ‘Sing’ é bem mais simples. De qualquer forma, ‘Sing’ é um filme imperdível para todas as idades.

UM MOMENTO APIMENTADO: A sequência da primeira audição, com vários animais diferentes cantando é absolutamente hilária.

Auditório lotado para a primeira apresentação Auditório lotado para a primeira apresentação

E você, já assistiu ou está ansioso para ver? Concorda ou discorda da análise? Deixe seu comentário ou crítica (educadamente) e até a próxima!