No dia 10 de agosto de 2017 estreou na Netflix mundial “Diário de um Exorcista – Zero”, longa brasileiro de terror e suspense baseado em uma história real de um padre paulistano e sua experiência com exorcismo.

O roteiro é assinado por Renato Siqueira e o livro com a história do filme, lançado em 2013, foi escrito pelo roteirista juntamente com Luciano Milici. O filme foi produzido Beto Perocini (Diretor de fotografia), Wagner Dalboni (Som direto), Edu Hentschel e Renato Siqueira, que também assina a direção e atua no longa. A Europa Filmes distribuiu o filme em 2016, e agora está disponível também em diversas plataformas (V.O.D) online.

O longa é uma produção independente e não teve dinheiro público ou de leis de incentivo em seu orçamento, o que é uma raridade no mercado brasileiro que é suportado por produções financiadas com leis de incentivo e editais.

Edu Hentschel, um dos produtores, afirma que a produção levou 3 anos para ser finalizada e serve de exemplo para que cineastas brasileiros façam seus longas sem esperar as benesses do governo, “Estudamos o mercado, conseguimos parceiros entre atores, atrizes e fornecedores. Trabalhamos muito”, afirma o produtor.

“Diário de um Exorcista – Zero” é um filme interessante; tem bons efeitos visuais, trilha sonora e um enredo que o público brasileiro, principalmente, vai se identificar. Vale a pena conferir e que, de fato, o longa estimule uma nova página na produção de cinema nacional com filmes produzidos sem dinheiro público.