SINOPSE

O “FANTASPOA” (Festival Internacional de Cinema Fantástico de Porto Alegre) é o maior festival de cinema dedicado exclusivamente a filmes de gênero fantástico (fantasia, ficção-científica, horror e thriller) da América Latina. Ele ocorre anualmente e apresenta filmes do cenário independente, de baixo custo, com foco nos gêneros citados anteriormente, exibidos como longas-metragens, curtas-metragens e animações. Um ponto muito importante a ressaltar é o fato de que mesmo as obras não sendo produzidas por grandes estúdios e quase nunca distribuídas nos circuitos comerciais, elas apresentam em sua grande maioria, excelente qualidade de roteiro e produção técnica.

XI FANTASPOA (2015) 00

O gênero tido como “fantástico”, apresentado no festival, atrai principalmente fãs do terror, do trash e do gore, em suma, nada muito do cotidiano do público brasileiro tão acostumado com grandes produções, com famosos galãs e estrelas de hollywood e da Globo, principalmente comédias e filmes de ação. Acrescente a isto o termo “Cinema Nacional Independente” e temos um nicho, conhecido como “Cinema de Bordas”, rico em variedade e conteúdo, ao alcance de todos, mas, de interesse de poucos. Não é à toa que o Fantaspoa é o primeiro festival destinado ao gênero, criado em solo tupiniquim, seguido depois por São Paulo como o SP Terror e Rio de Janeiro com o RioFan, entre outras cidades.

XI FANTASPOA (2015) 01

Em sua primeira edição, em 2005, o evento apresentou apenas quinze filmes, em seis dias, e atingiu um singelo público de oitocentos espectadores, porém, seu sucesso já era anunciado haja vista seu rápido crescimento ante o grande número de amantes da sétima arte. Em seu segundo ano de execução, foram exibidos vinte longas com um público de mil e quinhentos expectadores, também houve a realização de uma mostra competitiva de curtas e cursos, tendo como artista homenageado José Mojica Marins, o conhecido Zé do Caixão, com a apresentação de uma retrospectiva da obra do cineasta. Em 2007 é que o festival foi batizado como Fantaspoa e teve sua primeira mostra competitiva internacional de cinema fantástico.

XI FANTASPOA (2015) 02

Ao longo destes anos todos, só aumentou o número de pessoas que procuram as sessões, dada à qualidade do que é apresentado. Graças a este boca-a-boca promovido por aqueles que conhecem o projeto, hoje são exibidos mais de 70 filmes e 45 curtas-metragens, do mundo todo, sendo algumas das sessões comentadas, ou seja, os responsáveis pelas produções se fazem presente durante as apresentações e ao final é aberto um espaço para perguntas do público. Desde 2008 a seleção oficial de filmes do Fantaspoa está presente em outros festivais do gênero, como no Riofan (Rio de Janeiro), no Rojo Sangre (Argentina), no Macabro (México) e no Mise-en-Scene’s Short Film Festival (Coréia do Sul), entre outros. Além disso, envia membros da equipe, para selecionar filmes em festivais europeus, como o Festival Internacional de Curtas de Clermont-Ferrand, na França, o Fantasporto, em Portugal, e o Amsterdam Fantastic Film Festival, na Holanda.

XI FANTASPOA (2015) 03

2015 é o quarto ano consecutivo que o festival conta com um patrocínio mais pungente, de instituições como a Petrobras e o Banrisul, o que permite que ele diversifique a cada ano que passa. No ano passado (2014) foi criada a Fantaspoa Produções, que visa incentivar uma produção de qualidade dentro do gênero, lançando seu primeiro longa-metragem “Jorge e Alberto Contra os Demônios Neoliberais” (2014) e vários curtas exibidos em 2015. Neste último ano também, o festival se tornou membro da Federação Europeia de Festivais de Cinema Fantástico, ao lado de 21 dos mais relevantes eventos de cinema de gênero do mundo.

XI FANTASPOA (2015) 04

Nesta décima primeira edição, o Fantaspoa trouxe mais de 30 convidados brasileiros e 40 estrangeiros, ocorreram atividades paralelas, como cursos de formação, sessão musicada, concerto, festas, e muito mais se levarmos em consideração a experiência individual. O concerto “De Frizzi a Fulci”, em Homenagem a Lucio Fulci, foi regido pelo próprio Fabio Frizzi, que foi parceiro do diretor italiano, compondo a trilha para filmes como “Zombi 2” (1972) e “Terror nas Trevas” (1981), clássicos do “Cinema Giallo”. Na edição deste ano, o festival foi exibido em duas salas, no Cinebancários e no Santander Cultural, ambas no centro de Porto Alegre, além de exibições no Rio de Janeiro, com o braço carioca: Fantaspoa Rio, entre os dias 20 de maio e 02 de junho, em parceria com o RioFan.

XI FANTASPOA (2015) 05

Para aqueles que ainda estiverem pouco inclinados a se dar ao prazer de prestigiar o festival, não se preocupe, se por um acaso, tiver algum receio com cinema independente, serão apresentados trabalhos de Dennis Paoli, roteirista norte-americano e Michael Cassidy, ator conhecido por atuar na série “O.C”. Destaque para o longa-metragem “A Capital dos Mortos: Mundo Morto”, do diretor brasiliense Tiago Belotti, conhecido por suas críticas de cinema no canal do You Tube “Meus 2 Centavos”. Além de ter a oportunidade única de assistir a produções, em curta e longa metragem, de países como Alemanha, Espanha, França, Hungria, Irlanda, Noruega, Nova Zelândia, Venezuela, entre outros. Caso você não seja morador de Porto Alegre e proximidades, mas se interesse pelo gênero, fique atento se existe este tipo de festival na sua região, se do contrário, quem sabe você mesmo se motive a montar um fã clube de cinema e organizar um festival destes ou mesmo fazer seus próprios filmes?

XI FANTASPOA (2015) 06

Verdade seja dita, Fantaspoa é um festival democrático que reúne em suas salas de exibição obras do mundo todo, possibilita o intercâmbio cultural e de ideias, conecta pessoas, propicia e promove a arte e amplia os horizontes daqueles que se fazem presente em suas sessões para novos gêneros cinematográficos e percepções de mundo, e, o melhor… Está de portas abertas e à tua espera todos os anos tchê, para uma experiência única. Não perca as próximas edições, pois prometem ser ainda melhores! Vale lembrar que no mês de julho o Santander Cultural de Porto Alegre, trará a Mostra Fantaspoa Revisitado, que exibe os filmes premiados pelo júri e o público, durante o festival.

XI FANTASPOA (2015) 07

TEXTO: Rafael Gama Arcanjo.
EDIÇÃO E REVISÃO: Felipi Vidal Fraga

ABAIXO, LISTA DOS PREMIADOS DO XI FANTASPOA:

Prêmios do Júri Oficial

Curtas-Metragens (jurado Kapel Furman)

Melhor Curta Nacional – Nua por Dentro do Couro, de Lucas Sá
Melhor Curta de Animação Internacional – Omega, de Eva Franz, Andy Goralczyk
Melhor Curta em Live-Action Internacional – Time Trap, de Michael Shanks

Mostra Competitiva Nacional (jurado Pedro Henrique Gomes)

Melhor Longa-Metragem – Condado Macabro, de Marcos DeBrito e André de Campos Mello
Mostra Ibero-Americana (jurados Eric Ortiz Garcia e Nikias Chrissos)
Menção Honrosa por Contribuição Artística – Tejen, de Pablo Rabe
Melhor Diretor – Ernesto Díaz Espinoza, por Santiago Violenta e Redentor
Melhor Filme – O Incidente, de Isaac Ezban

Competição Internacional (jurados André Kleinert e Carlos Primati)

Menção Honrosa por Contribuição Artística – O que Fazemos nas Sombras, de Jemaine Clement e Taika Waititi
Menção Honrosa por Melhor Banho de Sangue – The Killers, de Mo Brothers
Menção Honrosa por Rainha do Grito – Alexandra Essoe, de Starry Eyes
Melhor Filme – Stung, de Benni Diez
Melhor Direção – Justin Benson e Aaron Moorhead, por Spring
Melhor Ator – Daniel Fripan, por O Bunker
Melhor Atriz – Mónika Balsai, por Liza, A Fada Raposa
Melhor Roteiro – Severin Fiala, Veronika Franz, por Goodnight Mommy
Melhor Direção de Arte – Turbo Kid, de François Simard, Anouk Whissell e Yoann-Karl Whissell
Melhores Efeitos Especiais – Ainda Estamos Aqui, de Ted Geoghegan

Prêmios do Público

Melhor Curta Nacional – Caveirão, de Guilherme Marcondes
Melhor Curta de Animação Internacional – Pandy, Matúš Vizár
Melhor Curta em Live-Action Internacional – Invaders, Jason Kupfer
Melhor Longa-Metragem – Turbo Kid, de François Simard, Anouk Whissell e Yoann-Karl Whissell

Trailer do Festival:

Vídeo Resumo da XI Edição do Festival:

Leia a nossa análise de A Capital dos Mortos (2008), exibido no IV Fantaspoa 2008.

Leia a nossa análise de A Capital dos Mortos: Mundo Morto (2015), exibido no XI Fantaspoa 2015.