Ao contrário do que o nome do filme diz, não há vantagens em ser invisível. Há se você levar pelo sentido literal, claro. Mas se considerarmos que ser invisível é ter uma doença e ser ignorado por isso, então não há vantagens. Apesar de não ser psiquiatra, é de se supor que Charlie, interpretado por Logan Lerman, sofra problemas como ansiedade, síndrome do pânico e até mesmo depressão. Seria menos pior se somente o Charlie tivesse problemas… Toda sua geração foi condenada.

O longa retrata não apenas os problemas psicológicos dos personagens, mas sim por diversos problemas que assombram os jovens, tais como vícios, sexualidade, traumas de infância, relacionamento com os pais etc. Hoje em dia é difícil, pra não dizer impossível, achar um jovem que não passe por ao menos um desses problemas. Fica ainda mais difícil superá-los graças à pressão social que existe sobre eles.

Como podemos definir um jovem? Ele é um adulto ou uma criança? Nós estamos na transição de adolescentes para adultos. Saímos de uma bolha de proteção dos nossos pais para o ‘mundo real’, digamos assim. De quebra vem um monte de problemas, dúvidas, medos e incertezas. A situação é pior para os que carregam traumas de infância, como Charlie e Sam.

É difícil se adaptar a um mundo novo. Muitas pessoas acabam se adoecendo, assim como Charlie. O pior de tudo não é isso, o pior são elas serem tratadas como se aquilo fosse normal. Sentir tristeza do nada, vomitar antes de realizar simples tarefas, não sentir vontade de fazer absolutamente nada… Como isso pode ser normal? O que aconteceu conosco?

A juventude, apesar de boa, é bem complicada. Não conseguir lidar com sua realidade não é um crime. Se cada pessoa vê o mundo de uma forma, não há como saber o que outra pessoa vê. Tudo piora quando somos condenados por sermos nós mesmos. Somos gays, somos surfistas, somos rockeiros, fumamos maconha, beijamos os caras, transamos com a mulherada, vamos a festas, ficamos bêbados e no fim, estamos errados. Onde exatamente estamos errando, eu me pergunto.

Sam, Patrick e Charlie são da geração de 80. Todos os seus problemas continuam tão atuais… Os mesmos vícios, os mesmos problemas psicológicos, os mesmos problemas com os pais… Se quiser um conselho, continue curtindo a vida. Se quiser outro, procure ajuda se tiver algum problema. Há milhões de pessoas tão confusas quanto você. Nada disso é frescura ou bobeira sua. Faça isso agora. Exatamente agora, pois seu momento é esse e sua vida está acontecendo. Sua juventude passa sem que haja uma pausa. E apesar de todos os problemas, tudo isso pode valer a pena, porque, acredite em mim, nós somos infinitos.