angrybirds-onlineposter-brazil_8sqr

Já passou aquela época em que animação era somente para crianças. Nesse século 21, os estúdios de animação vêm entendendo cada vez mais o grande propósito desse tipo de produção. As crianças de hoje são bem mais “vivas” do que as das décadas anteriores, o que fez com que a indústria de animação tivesse que se modificar para atender aos novos cérebros. ‘Angry Birds – O Filme’, baseado no famoso game lançado em 2009, é um desses tipos de produções voltadas para esse novo universo. Tenho certeza de que quando o filme foi anunciado você deve ter pensado: “Mas esse jogo tem história para um filme?”. Pois é, tem.

angry-birds-movie-hd-wallpapers_67e4

No game, a gente não sabe por quê os pássaros são tão bravos, já no filme começamos a entender melhor tudo isso, principalmente em relação ao Red, o pássaro mais conhecido entre os Angry Birds. A animação nos leva a uma ilha populada inteiramente por pássaros felizes e que não podem voar (que ironia!). Nessa ilha encontramos o Red (com a voz original de Jason Sudeikis e com Marcelo Adnet na versão brasileira), que tem sérios problemas de temperamento, o veloz Chuck (com a voz original de Josh Gad e com Fábio Porchat na versão brasileira) e o volátil Bomba (com a voz original de Danny McBride) que sempre foram excluídos. Mas quando a ilha é visitada por misteriosos porquinhos verdes, cabe a eles descobrir o que os porcos estão tramando.

20160509-angry-birds-papo-de-cinema-01

Se no jogo lançado em 2009 as características com pássaros só serviam para dar sentido à brincadeira, em ‘Angry Birds – O Filme’ essas características são fundamentais para o desenrolar da história e assim como no jogo, para lutar contra os porquinhos verdes também. Esses porquinhos já são conhecidos do público que acompanhava o jogo, portanto a chegada deles é o sinal claro de que as forças antagônicas já se encontram presentes na história.

072400.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

O ponto mais interessante dentro da animação se dá no sarcasmo do Red, personagem principal, que ganhou a voz do ator e comediante Marcelo Adnet na versão brasileira. Você provavelmente conhece alguém que está sempre de mau humor. O fato é que o filme traz humor à esse mau humor do personagem e faz o espectador se identificar com o pássaro, que acaba se estressando por motivos relevantes, o que é comum para muitas pessoas que vivem essas rotinas estressantes e acabam descontando suas raivas em motivos desnecessários. Adnet comentou sobre isso em entrevista para o Pipoca De Pimenta, que você pode conferir no final da análise.

maya-rudolph-faz-a-voz-original-de-matilda-em-angry-birds-1442336139006_956x500

‘Angry Birds – O Filme’ faz mais sentido para quem conhece o jogo, obviamente. Os produtores da animação se preocuparam com esse público que adora utilizar o estilingue famoso por fazer voar os pássaros não voadores, portanto a experiência de quem conhece o game é certamente muito mais gostosa e interessante, tudo faz mais sentido, porém se você não sabe quase nada sobre o jogo, assista mesmo assim, ‘Angry Birds – O Filme’ é uma animação infantil, ao mesmo tempo em que é adulta, sensível e simpática, e muito desses créditos vão para os dubladores que deram vida à esses personagens.

O Pipoca De Pimenta conversou com os dubladores Marcelo Adnet, Dani Calabresa, Ricardo Piologo, Rodrigo Piologo e Pathy dos Reis. Veja na íntegra: