Trabalhar com pessoas não é fácil, e em Hollywood menos ainda. Seja por questões financeiras ou criativas, brigas e discussões existem em todo lugar e não se restringem apenas o universo do cinema. Para vocês entenderem como as coisas acontecem em Hollywood, listamos os embates mais épicos entre personalidades do cinema.

Confira agora intrigas, provocações, brigas e discussões que marcaram Hollywood.

Marlon Brando x Francis Ford Coppola

T 1

O clássico ‘Apocalypse Now’ (1979) sofreu grandes problemas antes mesmo de iniciar sua produção. O diretor Francis Ford Coppola demorou 10 anos para conseguir a aprovação do estúdio, que não acreditava em seu potencial para adaptar o livro de Joseph Conrad. Após os lançamentos de ‘O Poderoso Chefão’ (1972) e ‘O Poderoso Chefão II’ (1974) o estúdio cedeu para o diretor que pediu o ator Marlon Brando para o elenco, algo que se arrependeu pouco tempo depois.

O ator recebeu um adiantamento de US$ 1 milhão e por muitas vezes ameaçou abandonar o projeto. Brando constantemente chegava bêbado para as gravações, estava acima do peso, não sabia o roteiro e não tinha lido ‘Coração das Trevas’, livro que serviu de inspiração para o roteiro. Brando ainda decidia improvisar e impôs que seu personagem deveria aparecer apenas nas sombras, para que o público não o visse 40 quilos mais gordo. Coppola chegou a conversar com estúdio para que Jack Nicholson, Robert Redford ou Al Pacino substituísse Brando no papel. Além de tudo, Brando se recusava a gravar junto com o ator Dennis Hopper, pois não aceitava que Hopper usasse cocaína para atuar. Coppola ainda decidiu, durante as filmagens ficar lendo trechos do livro no ouvido de Brando, deixando o ator revoltado, tanto que o diretor assistente passou a gravar suas cenas. Que arrependimento né Coppola?

Shelley Duvall x Stanley Kubrick

T 2

Se você ficou tenso em ‘O Iluminado’ (1980), saiba que você não é o único, e o elenco que o diga. O visionário Stanley Kubrick tinha a fama de ser extremamente perfeccionista em seus filmes e procurava o melhor resultado possível, e a atriz Shelley Duvall sofreu na pele durante as gravações do clássico de terror.

O diretor nunca foi uma pessoa fácil de trabalhar e frequentemente torturava seus atores. Nunca satisfeito com a atuação de Duvall, virou cotidiano seus gritos com a atriz, deixando ela perturbada e tensa a cada cena, não deixando ninguém da produção ajuda-la quando precisava. Shelley teve que gravar a famosa cena do banheiro 127 vezes, pois Kubrick nunca estava satisfeito com o resultado, com isso, a atriz arrancou tufos de cabelo e terminou de gravar com o nariz sangrando, além de sair discutindo com o diretor e revelando o quão horrível foi trabalhar com Kubrick.

Miles Teller x Josh Trank

T 3

No final das contas, a produção inteira de ‘Quarteto Fantástico’ (2015) brigou entre si. Toda a confusão se iniciou com desavenças entre a produção e o diretor Josh Trank. De acordo com o site The Hollywood Reporter, o diretor era indeciso, autoritário e incapaz de trabalhar com outras pessoas, fazendo com que a produção mudasse muitas ideias do diretor. Além de reduzir o orçamento do longa em mais de US$ 10 milhões. A escolha do elenco atrasou e inúmeras cenas foram alteradas, sem a aprovação do mesmo.

Por conta dos diversos problemas sofridos por Trank, os atores sofreram as consequências. Trank não queria trabalhar com Kate Mara, com isso, passou a tratar a atriz de modo agressivo. Trank também saiu na mão com Miles Teller, ator que ele mesmo pediu para a Fox contratar. A consequência? Além da enxurrada de críticas negativas, o filme arrecadou apenas US$ 146, 7 milhões, de um orçamento de US$ 120 milhões, ou seja, foi considerado um fracasso. Sua sequência, prevista para 2017, foi eliminada do calendário da Fox, que confirmou seu cancelamento. E as confusões não param por aí. Após a divulgação das críticas, o diretor criticou o estúdio em seu Twitter, dizendo que o filme que ele realmente queria fazer seria um sucesso de crítica, e ninguém, provavelmente, irá ver.

George Clooney x David O. Russell

T 4

Até a pessoa mais simpática e boa pinta de Hollywood pode perder a linha ao lado do diretor David O. Russell. O diretor tem a fama de esquentado e costuma humilhar não só os atores com quem trabalha, mas o set inteiro, e não foi diferente durante as filmagens de ‘Três Reis’ (1999). No início da produção, Russell gritou com um operador de câmera e depois humilhou a supervisora do roteiro, fazendo-a chorar. George Clooney decidiu, então, escrever uma carta ao diretor, pedindo que parasse, mas não adiantou muito.

Durante um dia de filmagens, Russell estava incomodado com um jovem figurante que não estava realizando a ação da maneira correta, por isso o arrastou e chutou-o. Clooney tentou apaziguar, mas não adiantou, resultando em provocações verbais e socos. Tanto que no final ambos se agarram pelo pescoço, sendo separados por seguranças e por outros funcionários do set. Antes da briga, o diretor assistente de Russell já havia discutido com o diretor, tanto que jogou seus equipamentos no chão e foi embora das filmagens. As brigas tornaram-se públicas, prejudicando a bilheteria do filme e em entrevistas, Clooney e Russell se provocaram ainda mais.

Val Kilmer x Joel Schumacher

T 5

Val Kilmer não entendeu seu personagem em ‘Batman Eternamente’ (1995) e saiu brigando com todo mundo. O ator havia se tornado uma das celebridades mais famosas de Hollywood e a fama subiu pra cabeça. Começando pela reclamação mesquinha de que Jim Carrey tinha mais falas que ele no filme.

De acordo com o diretor Joel Schumacher, Kilmer estava agindo de forma irracional e enlouquecido com o assistente de direção, o operador de câmera e com o pessoal dos figurinos. Schumacher perdeu a cabeça com o ator e partiu para cima de Kilmer, resultando em uma briga com socos e afastamento do ator por duas semanas. “Foi uma maravilha!”, confessou Schumacher.

Faye Dunaway x Roman Polanski

T 6

‘Chinatown’ (1974) foi indicado a 11 Oscar e venceu o de melhor roteiro, mas antes fosse tudo perfeito. O diretor Roman Polanski fez da vida da atriz Faye Dunaway um verdadeiro inferno. Além de não gostar da performance da atriz, Polanski a humilhava e a tratava na base dos gritos, tanto que ao perguntar a motivação da personagem ao diretor, ela ouviu: “Apenas diga as palavras. O seu salário é a motivação”.

As brigas e as discussões não pararam durante as gravações. No meio de uma filmagem, o diretor estava incomodado com alguns fios de cabelo da atriz que estavam atrapalhando no enquadramento e sua estratégia foi lá arrancar a força sem avisar Faye. Como se não bastasse, Polanski proibiu a atriz de usar o banheiro durante as filmagens, Faye, então urinou em um copo de café e depois jogou o liquido na cara do diretor. Por sorte, não rolou pancadaria.

É, o cinema tenta esconder todo o ódio, os desentendimentos, as brigas, os problemas, mas sabemos que nada é perfeito, principalmente o trabalho em equipe de Hollywood.