Nesta semana a Marvel lançará ‘Capitão América: Guerra Civil’. As expectativas pra esse filme são grandes e o que não falta é empolgação. Afinal, quem não gosta de um bom filme de guerra? E para diminuir (ao menos um pouco) a sua ansiedade para mais uma grande estreia da Marvel, o Pipoca de Pimenta separou cinco grandes filmes de guerra para você já entrar no clima.

Os filmes aqui selecionados não são sobre super-heróis, mas também possuem uma ‘briga’ feia. Não foi feito um Top 5 com esses longas. Até porque todos são bons, então não importa a ordem que irá assisti-los.

APOCALIPSE NOW (1979)

‘Meu filme não é sobre o Vietnã. Ele é o Vietnã! É como realmente é…’. Essas foram as palavras de Francis Ford Coppola em 1979, numa coletiva de imprensa em Cannes. ‘Apocalipse Now’ venceu várias premiações e é hoje considerado um dos melhores filmes de todos os tempos.

Apocalypse-Now-9

‘Apocalipse Now’ é estruturado em uma série de episódios que retrata a história do Capitão Willard (Martin Sheen) que tem a missão de encontrar e matar coronel Kurtz (Marlon Brando), que aparentemente enlouqueceu e se refugiou nas selvas do Camboja, onde comanda um exército de fanáticos.

Este épico retrata o ambiente da guerra. Mostra como fica a sanidade dos soldados e de todos que estão inseridos neste inferno. A linguagem empregada no filme é até hoje usada como referência para filmes de guerra.

GLÓRIA FEITA DE SANGUE (1957)

Se por um lado Coppola mostrou o caos que a guerra cria na mente das pessoas, Kubrick mostrou como ela pode ser cruel mesmo longe dos campos de batalha.

Em 1916, durante a Primeira Guerra Mundial, Mireau (George Meeker), um general francês, ordena um ataque suicida e como nem todos os seus soldados puderam se lançar ao ataque ele exige que sua artilharia ataque as próprias trincheiras. Mas não é obedecido neste pedido absurdo, então resolve pedir o julgamento e a execução de todo o regimento por se comportar covardemente no campo de batalha e assim justificar o fracasso de sua estratégia militar. Depois concorda que sejam cem soldados e finalmente é decido que três soldados serão escolhidos para servirem de exemplo, mas o coronel Dax (Kirk Douglas) não concorda e decide interceder de todas as formas para tentar suspender esta insana decisão.

paths-of-glory-original-1024x576

Kubrick tinha apenas 28 anos quando fez este filme. Sua temática e o cuidado com os detalhes fazem de ‘Glória Feita de Sangue’ um dos filmes de guerra mais importantes da história. Este épico é baseado em fatos reais. Tanto é que ele foi banido na França durante 20 anos. É meio chato ver um cineasta levando à tona uma enorme vergonha de um país, né?

GUERRA AO TERROR (2008)

Para um grupo de soldados americanos no Iraque, alguns dias os separam do retorno para casa. Um período relativamente curto, se não fosse por tantas ocorrências que transformassem esse fim de jornada em um verdadeiro terror. As forças armadas precisam de especialistas não só nos campos de combate mas também no dia a dia, na proteção do grupo contra insurgentes que promovem atentados com engenhos explosivos improvisados (IEDs, na sigla em inglês), matando tanto civis como combatentes.

guerra-ao-terror

Como uma boa diretora americana, Kathryn Bigelow mostra o que a guerra faz com a mente dos soldados. Mas não fica só nisso. Ela demonstra um certo fascínio pelo mundo da masculinidade e da violência. Podemos ver isso no personagem de Jeremy Renner, o sargento William James, um homem brilhante, porém imprevisível e imprudente.
O longa começa com a citação ‘A emoção da batalha costuma ser um vício letal e potente, pois a guerra é uma droga’. Contudo, diferente dos outros filmes americanos sobre o Iraque, a diretora não questiona o mérito da invasão conduzida pelos EUA.

Guerra ao Terror foi vencedor de seis Oscars e seis BAFTA’s.

CIDADE DE DEUS (2002)

Eis o melhor filme nacional já feito e um dos melhores latino-americanos. ‘Cidade de Deus’ retrata a ascensão da pobreza em uma favela eu começou a ser construída em 1960 e que se tornou um dos lugares mais perigosos do Rio de Janeiro em 1980. O longa é narrado pelo Buscapé, um jovem que cresceu em meio a pobreza e o crime e sonha em ser fotógrafo.

k4BAPrE5WkNLvpsPsiMfu8W4Zyi

O brilhante diretor Fernando Meirelles surpreende e muito nos aspectos técnicos e na construção dos personagens. A trama é desenvolvida com calma até estourar a guerra entre Zé Pequeno e o Mané Galinha.
‘Cidade de Deus’ mostra que quando se vive à margem da pobreza e em meio ao crime, a guerra vira rotina. E ela mata crianças, mulheres, jovens e qualquer outra pessoa.

Talvez você estranhe a menção de ‘Cidade de Deus’ nesta lista, mas acredite, o filme é sobre guerra. É sobre a guerra que a desigualdade causa; que a pobreza causa; que as drogas causam e que a repressão policial causa. Este longa nos mostra que a guerra é um horror que se inseriu no nosso dia a dia.

WINGS (1927)

A tecnologia nos deixou mal acostumados. Hoje com um pouco de CGI já temos uma cena com helicópteros, explosões, tiroteios e mortes. Mas há quase cem anos atrás a história era outra. Fazer tais cenas exigia muito esforço e dedicação. ‘Wings’ consegue fazer tudo isso e, mesmo sem tecnologia, cria um filme brilhante que mostra que o amor pode viver mesmo em meio à guerra.

Film_Stills_Wings_003

Jack Powell (Charles Rogers) e David Armstrong (Richard Arlen) são dois homens que vivem numa mesma cidadezinha americana e se tornam rivais quando passam a disputar o amor da mesma mulher, a bela Sylvia Lewis (Jobyna Ralston). O que Jack não sabia era que a inocente Mary Preston, uma moça para quem ele nunca deu muita atenção, está perdidamente apaixonada por ele. Os dois se alistam no serviço militar e se tornam aviadores durante a Primeira Guerra Mundial, tendo que combater os alemães na França. Disposta a ajudar Jack, Mary decide arriscar sua vida e sua carreira como enfermeira viajando para a Europa em busca de seu amado.

Por ser bem antigo, nem tente procura-lo na Netflix. Entretanto, o filme encontrasse disponível no YouTube. E só para constar, ‘Wings’ foi o primeiro longa a vencer o Oscar de Melhor Filme, e também venceu o de Melhor Efeitos de Engenharia, o que hoje equivale à categoria de Melhor Efeitos Especiais.

Agora é só assistir a esses maravilhosos longas e aguardar a tão esperada estreia de Capitão América: Guerra Civil. Já assistimos o filme. Confira a nossa crítica e veja o que achamos desse mega lançamento!

Link da crítica: http://pipocadepimenta.com/review/capitao-america-guerra-civil/