“Glow” é uma daquelas obras que são deliciosas de se assistir. O pouco falatório dela me preocupa, pois a senhora Netflix já foi desleal com “The Get Down” e com “Glow” ela não pode fazer a mesma coisas, temos aqui a série cômica mais raiz da Netflix.

Pense em modelos, atrizes ou mulheres em busca de um vislumbre participando de uma luta livre, bizarro? Poderia ser, mas além da sinopse ser interessante a história é real. “Glow” foi um programa dos anos 80 de sucesso nos Estados Unidos, onde mulheres lutavam pelos motivos mais bizarros. Se você ainda está estranhando a proposta da série, pense como eles mesmos dizem na série, uma novela que acaba com mulheres saindo no braço com colãs e permanentes. Pense, na luta livre sempre existe uma história por trás, um vilão, o mocinho e sua torcida por um final feliz. E assim se nascia a “Glow” nos anos 80 e parando anos depois na Netflix, para a nossa sorte.

A criadora da série Jenji Kohan, conta a história de Ruth, uma atriz desempregada que vê em um programa de luta livre, sua chance de alcançar o estrelato. Jenji Kohan também é criadora da outra série cômica da Netflix, “Orange Is New Black”, mas ao contrário das presidiárias, aqui temos um tom muito mais leve e muito melhor feita. Sei que “Orange is New Black” é o xodó de muita gente, mas “Glow” me remete aquelas comédias antigas de sessão da tarde, as pausas para as piadas, o improviso de algumas cenas, a magnífica utilização das músicas no momento certo para dar o tom da piada. “Glow” cheira, fala e conversa como os anos 80, e suas personagens são carismáticas, interessantes, com críticas sociais e de gênero.

Sem levantar nenhum cartaz, “Glow” fala muito mais que muito textão, é um ”fique em silêncio” para cada homem que diz que mulheres não podem fazer algo, e na série quando alguém diz que isso não é possível, elas estabelecem que tudo é uma questão de fazer pela primeira vez, e que depois elas tiram de letra.

“Glow” foi uma grata surpresa, depois de uma leva fraca de conteúdos da Netflix, podemos dizer que a série é um “Strangers Things”, bem humorado, sem propaganda e com uma Eleven que te faz rir e torcer por ela como os pequenos fizeram na ficção mais amada da plataforma. “Glow” é algo que você precisa assistir já.