SINOPSE PEQUENA

Há uma discriminação quando um ator ou atriz resolve dirigir um longa-metragem, mesmo tendo um apoio de peso na produção. O que mais se fala é que o ator fulano de tal ou a atriz fulana de tal não leva jeito pra coisa e o melhor que tem a fazer é continuar atuando. Se não for consagrado ou laureado com algum prêmio importante, o açoite é dobrado. Aqui vemos a atriz Angelina Jolie, em sua segunda empreitada na direção (sua primeira foi ”Na Terra de Amor e Ódio”, sem muito sucesso). Mas Angelina parece ter se aprimorado, tendo pulso firme, e claro que ela não está sozinha nessa, pois tem como roteiristas ninguém menos que os irmãos Cohen e Laura Hillenbrand, autora do livro no qual a história foi baseada, ”A World War II Story of Survival, Resilience, and Redemption”. Fora a atriz, tem gente de peso na produção (só pra ter uma ideia, serão citados dois: Joseph P. Reidy – produtor de filmes como “Cisne Negro”, “Ilha do Medo” e “Os Infiltrados” e Thomas Tull produtor de ”A Origem” e ”Jurassic Park IV: O Mundo Jurássico” que estreia ainda este ano). O resultado foi um filme a altura do livro, que foi sucesso quando lançado.

inv01

Em novembro de 2014 (24), hackers invadiram o site da Sony Pictures onde continha informações privadas. Com isso, foram divulgados e-mails onde, em um deles o produtor Scott Rudin (produtor de “Onde os Fracos Não Têm Vez” e “Moonrise Kingdom”) chamou Jolie de “fedelha mimada e minimamente talentosa”. O motivo para a que Rudin se referisse assim a ela, era tentar convencer a vice-presidente da Sony, Amy Pascal a engavetar ”Cleópatra”. Rudin agora tem que dar o braço a torcer e reconhecer que agora, a filha do veterano John Voight pode se tornar uma diretora de alto escalão do mesmo patamar de Jane Champion, Sofia Coppola e até mesmo Kathryn Bigelow.

invencivel

A história é baseada em fatos verídicos da vida do ex-atleta olímpico Louis Zamperini, filho de imigrantes italianos, falecido em julho de 2014 aos 97 anos, vítima de pneumonia. Em 2010, a roteirista Laura Hillenbrand (”Seabiscuit: An American Legend” que também foi parar nas telonas em 2003 com o título ”Seabiscuit – Alma de Herói” aqui no Brasil) resolveu escrever um best-seller contando sua jornada para a sobrevivência na Segunda Guerra. Depois de ter competido nas Olimpíadas de 1936 pelos EUA, Louis teve sua carreira interrompida por causa da convocação para a Segunda Guerra. Foi preso e torturado pelos japoneses mesmo sendo reconhecido por ser um atleta que também foi o motivo pelo qual foi salvo. Infelizmente Zamp, como era chamado, chegou apenas a ver sua vida biografada em livro. Uma bela história de superação com uma equipe de efeitos visuais e sonoros de primeira e com ricos elementos bem aos moldes da época, pois é o que se pode esperar de um projeto que tem tudo para arrastar multidões ao cinema.

Trailer do filme: