O filme de Gianfranco Rosi, ‘Fire at Sea’, foi selecionado para representar a Itália na categoria Melhor Filme Estrangeiro do Oscar 2017.

O documentário foi premiado com um urso dourado no Festival de Berlim, premiação máxima do evento. Isso se deve, entre os muitos méritos da película, à sua temática. ‘Fire at Sea’ fala sobre a crise migratória da ilha de Lampedusa, no Mar Mediterrâneo, o primeiro ponto de parada para os barcos vindos da Líbia. E, para que o espectador entenda os dramas desta situação que preocupa a Europa há tempos, acompanha-se tudo pelos olhos de um menino e de um médico local, que trata dos viajantes.

Além dos elogios nos festivais europeus, o documentário tem uma estatística bastante positiva ao seu lado, que pode dar confiança no Oscar, no ano que vem. A Itália teve 28 dos seus longas nomeados para a premiação máxima do cinema, dos quais 14 saíram vencedores. Apenas Federico Fellini levou 4 estatuetas douradas. Em outras palavras, é simplesmente o país que mais ganhou. Será que leva mais um prêmio para casa?