Jogos Vorazes

Jennifer Lawrence volta à pele de Katniss Everdeen em “Jogos Vorazes: A Esperança – Parte I”, mas de um jeito diferente, menos ativa e mais pensativa. A Katniss do novo filme não é tão segura e decidida.
Para se construir uma boa história, são necessários diálogos bem construídos e não apenas um borbardeio de grandes efeitos especiais e longas cenas de ação. Portanto, o terceiro filme da franquia de sucesso responde à essa boa história com seus diálogos bem elaborados e uma interessante crítica à questões políticas. Mas não é só essa crítica em que o filme se baseia. Mais que em qualquer outro filme da franquia, “A Esperança – Parte I” é uma crítica direta à manipulação, seja política, humana ou midiática. A busca pela transformação de Katniss, para se tornar o tordo do distrito 13 é uma crítica direta às propagandas manipuladoras que invadem nossos televisores, principalmente quando em épocas de eleições. Stanley Tucci é menos ativo nesse terceiro filme, mas é a exteriorização clara da manipulação em sua forma mais viva.
Gale, interpretado por Liam Hemsworth, ganha mais destaque e mais tempo de cena. Já Peeta, interpretado por Josh Hutcherson, tem menos tempo de cena, mas desempenha um importante papel no desenvolvimento da história.
O jogo entre os planos e movimentos de câmera é interessante, e o uso em algumas cenas da câmera na mão exterioriza o psicológico de Katniss, bastante abalado. Ponto positivo para o diretor Francis Lawrence.
O roteiro de “Jogos Vorazes: A Esperança – Parte I” foi muito bem construído e finaliza com um gancho para a segunda parte do filme, que tem estreia mundial prevista para novembro de 2015.
Se os fãs da saga estavam esperando por um filme com bons minutos de ação, certamente se decepcionaram, porém para uma saga como Jogos Vorazes, que conta com uma história interessante e muito bem elaborada, diferente de muitas outras que tomam as salas de cinema, esse filme tinha que existir, e tinha que ser construído dessa forma, pois uma saga feita somente de ação não deixa legado.
O ator Philip Seymour Hoffman, que interpreta o importante Plutarch Heavensbee, que morreu em fevereiro deste ano devido a uma overdose, esteve presente em todas as filmagens de “Jogos Vorazes: A Esperança – Parte I”. Já na segunda parte, Hoffman esteve presente em apenas 42 das 50 dias de filmagens estabelecidas para ele. A última parte do roteiro foi reescrita para que a história pudesse ter sequência mesmo com a ausência do ator, portanto “Jogos Vorazes: A Esperança – Parte I” marcará a despedida do aclamado ator vencedor do Oscar das telonas dos cinemas.