MAGIA AO LUAR

Dirigido pelo grande Woody Allen, Magia Ao Luar é um comédia romântica bem estruturada e com as básicas características das obras do diretor. É notável que as de antigamente são infinitamente melhores até no mínimo aspecto. Porém, é um filme que merece certo destaque por ser de um aspecto filosófico. Por que filosófico? O filme trata-se de um mágico que é perito em desmascarar impostores. Que vive sua vida da maneira mais racional possível – incluindo até um amor que se encaixa nesses padrões. Stanley é um homem orgulhoso, que está confortável em uma racionalidade inabalável.
Até encontrar um desafio, que inicialmente parece ser apenas mais, para desmascarar uma tal farsante chamada Sophie. Em certo desenrolar, surpreende-se com a bela mulher, que parece abalar todas suas teorias até certo ponto em sua vida. Neste tempo juntos, vivem belos momentos, com a desconstrução do orgulho de Stanley e com o que se pode dizer uma certa “amenizada” na vida tão racional dele.
Ao desenrolar da trama, a verdade vem à tona. Uma verdade não somente impressionante, mas como reveladora, onde todos serão impactadas, de um bom ou mau modo.

Escrito por: Camila Bonfim