SINOPSE

Aos quatorze anos de idade, Bia descobre que vai ganhar uma grande festa de quinze anos. Mas tem um problema: a garota sonhadora e apaixonada por música não tem muitos amigos para convidar ao evento, por ser pouco popular na escola. Ela conta com a ajuda do único grande amigo, Bruno, e do pai Edu, para consertar a situação.

FICHA TÉCNICA

Direção:

Caroline Okoshi Fioratti

Roteiro:

Luiza Trigo

Gênero:

Comédia, Drama

Produção:

Paris Produções

Elenco:

Larissa Manoela, Priscila Marinho, Daniel Botelho, Bruno Peixoto, Rafael Infante

Nacionalidade:

Brasil

Ano de Produção:

2016

Data de Lançamento:

22/06/2017

Distribuição:

Paris Filmes

CLASSIFICAÇÃO

Direção:

Roteiro:

Fotografia:

Trilha-Sonora:

Efeitos Visuais:

Efeitos Especiais:

Direção de Arte:

Elenco:

Montagem:

Figurino:

Maquiagem:

A queridinha do público infantil e infanto-juvenil Larissa Manoela estreia em seu primeiro longa como protagonista depois dos péssimos “Carrossel — O Filme” e “Carrossel 2 — O Sumiço de Maria Joaquina”. Logo após abandonar a personagem arrogante da versão brasileira de “Carrossel”, eis uma ótima oportunidade para que ela viesse a fazer uma personagem carismática e fofa. Estamos falando de Beatriz de Souza, uma garota tímida e esquisita de sua escola no longa “Meus 15 Anos” de Caroline Fioratti.

Larissa estreou nos cinemas como co-protagonista no agradável “O Palhaço” e desde então, sua carreira foi decolando e mostrou ser bem mais que um rostinho bonito. Por causa de algumas polêmicas em redes sociais com vídeos, a jovem atriz acabou gerando antipatia dos internautas. Óbvio que isto não tem nada a ver com seu trabalho. Mas a tal antipatia possivelmente colocaria em risco sua carreira e talvez um certo preconceito por estrelar filmes teens. Mas, se seu próximo filme (“Fala Sério, Mãe” — com data prevista para janeiro do ano que vem) for tão bom quanto “Meus 15 Anos”, Larissa está no caminho certo.

Baseado no livro de mesmo nome, escrito por Luiza Trigo, acompanhamos a fase adolescente de Beatriz de Souza, conhecido como Bia. É uma garota tímida, inteligente e sem amigos, a não ser por Jéssica e Bruno. A rotina de Bia muda quando ela descobre que fortuitamente ganhará uma festa de quinze anos, organizada por seu pai. Mas este não é o único problema: sua amiga Jéssica e outras meninas da escola almejam muito ganhar o sorteio da festa e isso comprometerá a amizade de anos. Não bastasse isso, ela é seduzida por Thiago — com intuito de ir à festa — o cara mais bonito da escola e namorado de Jéssica.

Voltado para o público mais jovem, embora com um roteiro simples, porém ágil, a forma como “Meus 15 Anos” é executado de modo tão persuasivo que consegue agradar também os adultos. A sua fotografia saturada e com cores delicadas é algo que esteticamente pode ser percebido desde o começo nos créditos iniciais. Se você pretende conferi-lo com boas expectativas, saiba que elas serão superadas.

Apesar de ser um simples filme de adolescente, aborda temas de forma coerente como valorizar quem sempre está do nosso lado e amadurecimento (seguindo a linha de “O Sonho de Greta” que, assim como Bia, recusa uma festa de quinze anos e se viu obrigada a amadurecer), “Meus 15 Anos” é agradável e pode ser um bom programa. Mesmo se apoiando em fórmulas de filmes teens, o longa pode não oferecer nenhuma surpresa, mas que com uma direção de pulso firme, não permite que o filme caia no piegas nem no clichê e acaba divertindo e entretendo.