O filme ‘O Iluminado’ é de 1980 e conta uma estória baseada no livro com o mesmo título escrito por Stephen King, em 1977. Stanley Kubrick é o diretor da versão cinematográfica.

DSC_0427-1Capa do livro ‘O Iluminado’

O Iluminado conta a estória de um homem chamado Jack Torrance que é contratado para ficar como vigia no hotel Overlook, no Colorado. A trama se passa no inverno e a família de Jack o acompanha nessa jornada. Além de Jack, a família é formada pela mãe Wendy e o filho Danny.

O Overlook traz um passado difícil, com muitas mortes e assassinatos. A estória é muito bem contada no filme, mas se você não leu o livro e é apaixonado pela versão de Kubrick, leia. Vou explicar porquê.

Stephen King tem fama de enrolador, mas cá entre nós, sem o livro, não existiria filme. Stephen explica muito melhor a história de Jack e Danny. Para que se tenha uma ideia, a família só vai para o hotel quase na metade do livro. Se você começar a ler, não desista porque tem muita informação importante no livro que traz um algo a mais para as cenas do filme. Se Kubrick quisesse seguir a estória à risca, precisaria de uma trilogia por conta dos detalhes e narração dos personagens. Não quero citar muitos spoilers do livro, afinal, vai perder a graça. Meu objetivo aqui é só fazer com que você comece a ler (LOGO, JÁ, IMEDIATAMENTE) esse livro como complemento do filme.

Danny Lloyd plays Danny Torrance in Stanley Kubrick's "The Shining." (Warner Bros. Inc., photo)Danny Torrance, interpretado por Danny Lloyd

Danny é um menino introvertido e, o fato dele ser um iluminado, faz com que uma criança como ele amadureça muito antes do normal. Tony, seu amigo imaginário, aparece de outra forma no livro. Ele traz muito mais informações ao garoto e de maneira diferente e isso deve-se ao fato de que Kubrick decidiu trabalhar de forma lúdica com o ator para que ele não ficasse traumatizado com o filme. Assim Tony e as visões de Danny ficaram mal explicadas na versão do diretor. Danny também se mostra mais forte no livro, tendo muito mais “poderes” que qualquer outro ser iluminado. A propósito, a definição de ser um iluminado é mais explicada na versão de King do que Kubrick.

Jack já teve um passado difícil com os pais e também sofre de ansiedade e depressão. Alcoolismo era o seu maior defeito e o que fazia com que ele ficasse agressivo com a família. Wendy, no filme, explica muito por cima a forma como Jack se tornava violento. O livro vai muito além do que podemos imaginar só assistindo o filme. Inclusive, o machismo é explícito no personagem.

03Wendy Torrance, interpretada por Shelley Duvall

Kubrick adaptou muito bem a estória e ele compôs elementos do livro para que tivesse uma certa graça. Stephen King, por outro lado, não curtiu muito a adaptação do diretor. Em entrevistas dadas para revistas americanas como Rolling Stone e Deadline, King afirma que o livro termina com fogo e o filme termina com gelo, e diz também que a Wendy não passa de uma personagem misógina no filme. Ele também diz que o livro desenvolve Jack e que essas transformações não acontecem no filme, trazendo outra interpretação para o personagem: Jack já é apresentado como um louco logo no início. Muitos fãs de King concordam com ele

04Jack Torrance, interpretado por Jack Nicholson 

No caso, podemos dizer que Kubrick reescreveu a estória e fez umas brincadeiras com o livro. Uma delas foi na cena em que um fusca vermelho aparece na estrada destruído por um caminhão. Essa era a cor do fusca de Jack no livro, que no filme foi trocado por um fusca amarelo, como um recado de que o filme era do Kubrick e ele iria fazer o que bem entendesse. Também tiveram algumas análises mais profundas como os erros de continuidade. Kubrick, conhecido e consagrado pelo seu perfeccionismo, jamais cometeria esses erros. São considerados erros propositais para alertar o espectador de mensagens subliminares ou também uma demonstração do mundo real para o irreal. Outra brincadeira que o diretor fez foi com o título de um capítulo do livro que é o famoso REDRUM (MURDER ao contrário que, em inglês, significa assassino). No capítulo desse livro, nada do que acontece no filme é descrito. Vendo por esse lado, Kubrick deve ter adorado essa brincadeira de palavras que desenvolveu no filme algo icônico que até hoje é lembrado, não é difícil achar pessoas com essa palavra tatuada ou até mesmo camisetas e quadros que trazem essa referência.

Alguns elementos que fazem parte do livro e são importantes, mas que trariam muita informação ao filme, foram expostos nas cenas como referência ao livro. Jack tem como seu principal objetivo escrever uma peça no hotel. King explica muito bem o que ele está pensando em escrever e são capítulos completos de descrições, pois ele encontra no hotel recortes de jornais com as notícias dos assassinatos ocorridos no Overlook. No filme, esses recortes são vistos com Jack quando ele está no ambiente em que ele escreve: em cima da mesa e espalhados no sofá. Em nenhum momento o porquê desses recortes estarem lá são explicados na versão de Kubrick.

05Dick Hollorann, interpretado por Scatman Crothers

Dick Hollorann, o cozinheiro do hotel que também é um iluminado e tem como papel guiar e proteger Danny, é um personagem mal explorado no filme. Ele tem um papel muito importante e, principalmente, esclarecedor no livro. A cena em que Danny conversa com ele na cozinha se desenvolve de maneira diferente do livro. Com todos os detalhes que Stephen King não deixa passar, o livro mostra o dom de ser um iluminado mais profundamente, detalhadamente e até poeticamente. Dick é a chave para entender as questões de Danny.

Se for para analisar, Stephen King é o dono da estória, mas Kubrick conseguiu transformar uma parte de um livro em um roteiro completo e cheio de elementos que, no cinema, são fantásticos: trilha sonora, fotografia, roteiro, atores e muito mais. Como o diretor mesmo diz, o filme é dele. Acredito que reescrever essa estória foi o melhor caminho porque o livro é cheio de detalhes e eles seriam difíceis de compor num longa e o filme é, de certa forma, bem explícito e explicativo. Kubrick quis pegar o que era mais importante e trazer para o filme o ápice da estória.

06Foto de uma festa no Overlook Hotel com Jack, em 1921

E não posso esquecer de que no livro, a grande causa da loucura de Jack é explicada. Eu não vou contar, mas já aviso que o grande monstro da estória não é o Jack. E há bem mais elementos que fazem parte dessa loucura. A continuação do Iluminado, que traz o título ‘Dr. Sono’ e conta a estória de Danny Torrance como um homem de meia idade que continua traumatizado pelo Overlook, traz como roteirista Akiva Goldsman, que fez outras adaptações de livros de King como Uma Mente Brilhante e A Torre Negra. Mesmo sem data de estreia e diretor, há grande expectativa ao redor desta continuação. Vale muito a pena ler “O Iluminado” e a continuação “Dr. Sono”. Um ponto que fica no ar como a cena final, em que aparece Jack Torrance numa foto no Overlook em 1921, é explicado. Mas vocês terão que ler para saber o que é.