SINOPSE PEQUENA

Até que ponto a tecnologia pode mudar a vida de uma pessoa? Hoje, vemos crianças e adolescentes, até mesmo adultos, vidrados em videogames, robôs e tudo o que a era digital pode oferecer. Em ‘Operação Big Hero’, não é diferente. Dirigido por Don Hall, o filme lançado há algumas semanas é uma parceria entre a Walt Disney Pictures e a Marvel Studios, e vem mostrar justamente essa relação de apego à tecnologia atual… Mas que ao mesmo tempo diverte, transitando entre a comédia e o drama.
O longa se passa na cidade de São Fransokyo – uma mistura de São Francisco com Tokyo -, e conta a história de Hiro Hamada, um garoto de 13 anos, órfão, que é criado pela tia, Cass, e o irmão mais velho, Tadashi Hamada, outro nerd e viciado em tecnologias avançadas. O gênio da robótica [Hiro] desenvolve suas habilidades graças ao irmão, e após graves incidentes na cidade, acaba se aliando a um grupo de outros nerds, composto pela veloz GoGo Tomago, o obcecado por organização Wasabi, a especialista em química Honey Lemon e o fã de quadrinhos Fred, formando assim uma Liga de Super-Heróis, que visa a salvar a Terra de um temível vilão.

Esquadrão Big Hero

Dos mesmos criadores de ‘Detona Ralph’ e ‘Frozen’, o filme possui uma história diferente e criativa, e também não decepciona. O diferencial de ‘Operação Big Hero’ é justamente tratar de uma história de heróis, em busca de um ideal: salvar a humanidade. Essa foi, sem dúvida, uma grande sacada da Disney, pois, utilizando um roteiro autêntico, consegue atrair um público de amantes de HQ’s, principalmente os da Marvel Comics, solidificando a parceria ao explorar o mangá japonês que dá nome ao filme. Além disso, durante o filme, o telespectador se sente praticamente em um filme da Pixar. Muitas pessoas sabem que há uma parceria entre os dois estúdios, contudo fazia tempo que o Disney não lançava uma animação com uma história tão completa, na qual a introdução, o desenvolvimento e o desfecho são elementos surpreendentes, além de ter um cenário que se destaca por meio de cores tão alegres e vibrantes.Baymax e Hiro

Ao lançar ‘Operação Big Hero’, acredito que a Disney conseguiu voltar – não completamente -, a sua era de ouro, concebida nos meados dos anos 1990, ao lançar ‘O Rei Leão’, ‘Alladin’, ‘Pocahontas’ e outras clássicas animações. A equipe de roteiristas e diretores conseguiu fazer uma ótima versão americana, levando a parceria Marvel /Disney a dar certo. E como em qualquer filme da Marvel, o grande Stan Lee – criador dos personagens mais conhecidos do mundo das HQ’s – também não poderia deixar de aparecer.
A relação de amizade entre os irmãos também é um primor. É importante frisar que Tadashi tem um papel importante na formação e nas atitudes do garoto, que os levaram a tomar sábias decisões no futuro. Além disso, a forma em que o robô Baymax – fofinho, diga-se de passagem – é construído merece destaque. Baymax foi criado com o objetivo de curar vidas, mas, aos poucos, a bolinha branca consegue cativar e ajudar o menino Hiro a dominar seus piores sentimentos, em troca de ajudar o próximo. E junto com os amigos de Hiro, ele forma um esquadrão, lutando por um mundo melhor. O robô é puro carisma mesmo não tendo o visual dos robôs lutadores, dos quais estamos acostumados a ver na TV ou nas telonas.Cena do filme (1)

Além disso, a trilha sonora bem construída, com destaque para a música ‘Immortals’ da banda Fall Out Boy, faz sua parte ao complementar a proposta do filme, que é transmitir mensagens positivas como acreditar em si mesmo, superação, amizade, dentre outras mensagens. ‘Operação Big Hero’ cumpre seu papel em emocionar, agradar e torcer por uma equipe pra lá de diferente!

Trailer do filme: