O diretor Barry Jenkins e a produtora Adele Romanski já tinham combinado que trabalhariam juntos desde que estudavam cinema na Universidade Estadual da Florida. Porém, nenhum dos dois tinha noção de qual seria o projeto. Somente quando apareceu o roteiro de “Moonlight: Sob a Luz do Luar”, adaptação da peça de Tarell Alvin McCraney, que o combinado se concretizou.

“Acho que, para Barry, era uma coisa profundamente pessoal. Para mim, é uma história que não tem nada a ver comigo, de onde eu vim ou como cresci. E, ainda assim, eu tive uma resposta emocional muito forte. Eu não lembro a última vez que senti algo tão poderoso. Depois que li o primeiro rascunho, eu apenas sentei na minha cama por um bom tempo, sem conseguir me mover ou falar, apenas sentindo muita coisa”, contou Romanski em entrevista para o Hollywood Reporter.

Em menos de duas semanas, “Moonlight” concorre em 8 categorias na cerimônia do Oscar 2017, incluindo Melhor Filme e Melhor Diretor. Mas a produção não teve tantos recursos, como alguns de seus concorrentes. “Nosso orçamento era de US$ 1,5 milhão, então tudo era uma limitação. Mas a gente veio de uma cultura de produção de filme independente e descobrimos como superar nosso orçamento. Ou a gente alcançava o que estava na página ou achava um jeito de fazer melhor ou, pelo menos, no mesmo nível”, disse a produtora.

Mas os maiores desafios da produção foram outros que não o dinheiro. Adele Romanski admitiu que não conseguir gravar numa escola de Ensino Médio foi o seu maior medo: “O segundo ato é uma história numa escola – como não teríamos uma no filme? A gente foi para a produção sem. Claro que, eventualmente, a gente conseguiu a permissão que precisávamos de uma escola no município vizinho. Então, deu certo, mas foi a coisa mais difícil”.

E, claro, a escolha do elenco também não foi exatamente fácil. Desde o princípio, ela e Jenkins decidiram que teriam três atores interpretando o protagonista, um para cada ato, mas encontrar quem participaria da segunda parte do filme foi mais complicado. “Encontramos Ashton [Sanders] logo no início do processo, mas seu Kevin [Jharrel Jerome] foi, talvez, o último personagem que fizemos o cast”, afirmou.

Ainda assim, “o elenco foi se unindo lindamente”, contou Romanski: “Fui abençoada de ter trabalhado com Mahershala Ali num filme chamado “Kicks”, então o conhecia pessoal e profissionalmente. Eu mencionei a ele durante um almoço ‘acho que tenho algo para você. Ainda não posso dizer, mas vou falar com você mais para frente’. Acredito que ninguém que chamamos disse não. Naomie [Harris], Janelle [Monae] e Andre [Holland] foram os primeiros atores que procuramos”.

“Moonlight: Sob a Luz do Luar” conta a história de Black, um jovem que sonha com um futuro maravilhoso e tenta, nessa jornada, não seguir o caminho da criminalidade e das drogas em Miami, enquanto cruza com o amor em lugares inesperados. No Brasil, o filme estreia dia 23 de fevereiro.