42 copy

Em 2011, “Rio” chegava às telonas do mundo. Uma animação baseada no Brasil, dirigida por Carlos Saldanha, e produzida pela Blue Sky Studios, em parceria com a aclamada 20th Century Fox. Com o sucesso do longa, “Rio 2” veio para dar continuidade à aventura de Blu, Jade e seus filhotes, juntamente com seus amigos.

Como na maioria dos filmes, sendo animações ou não, suas continuidades costumam perder um pouco de originalidade, e “Rio 2” não é uma exceção à isso. Porém, ainda sim, o filme surpreende o espectador e o faz cair na gargalhada em muitos momentos.
Apesar de a aventura das ararinhas azuis cair em grandes clichês, o roteiro, que teve a colaboração de Saldanha, é ativo e segue uma estrutura de roteiro já conhecida e bastante utilizada nos filmes, a chamada “Jornada do Herói”.
O ator Rodrigo Santoro dubla o personagem Túlio na versão americana e brasileira. A dublagem original conta com grandes nomes como Anne Hathaway, Jesse Eisenberg, Jamie Foxx, Andy Garcia, Bruno Mars e Will.I.Am.
“Rio 2” faz crítica ao desmatamento incessante da Amazônia e ao descaso com a biodiversidade presente na maior floresta do planeta. Essa crítica é feita de uma maneira divertida, porém não deixa de transmitir ao espectador a seriedade da situação.
A animação é regada de personagens hilários, divertindo todas as faixas etárias, como os inseparáveis Nico e Pedro, o bulldog Luiz, o tucano Rafael e sua mulher Eva, todos já conhecidos através de “Rio, de 2011. Além disso, temos novamente a presença de Linda e Túlio, os pesquisadores lutam pela preservação da região e contra a extinção da espécie de Blu e sua família.
A trilha sonora do longa foi criada pela parceria de John Powell, o produtor musical Sérgio Mendes e o cantor Carlinhos Brown. O trabalho musical merece palmas estaladas.
As técnicas utilizadas pelos animadores em “Rio 2” na criação dos personagens é uma das mais eficientes que existem, permitindo um detalhismo impressionante.